CIN - VinylMatt

Terminal Intermodal de Campanhã abre em julho

Terminal Intermodal de Campanhã abre em julho

A Câmara Municipal do Porto revelou esta segunda-feira que faltam apenas “pormenores” para que o novo Terminal Intermodal de Campanhã (TIC) “comece a fazer circular uma parte significativa do transporte público para e a partir de um ponto único na cidade”.

“Concluídos arruamentos e arranjos paisagísticos da envolvente, dentro de dois meses entra em funcionamento o lugar onde as linhas se encontram”, lê-se no portal de notícias da autarquia liderada por Rui Moreira.

A Go Porto, responsável pela execução da obra, numa visita recente ao local, fez a entrega simbólica do edifício nas mãos da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP), que ficará encarregue da sua gestão.

De acordo com o município, “quando for aberta a rua e terminada a intervenção nos mais de quatro hectares de área verde que hão de quase camuflar o imponente edifício de betão, e onde está incluído um parque natural como elemento agregador de toda a envolvente urbana”, grande parte do “transporte rodoviário internacional, interurbano e regional que entra na cidade” vai circular para Oriente.

É ali que se fará também “o rebatimento dos passageiros para outros modos de transporte, seja a STCP, o metro, ou o comboio”, explicou o administrador da GO Porto, Manuel Aranha, adiantando que aqueles que chegam ao Porto de carro podem “deixá-lo no parque de estacionamento [com capacidade para 268 lugares] e aqui entrar no sistema de transporte público”.

A autarquia referiu que “até ao momento, já cinco operadores nacionais e internacionais confirmaram a transferência da sua operação para o TIC, num total de 38 linhas”.

Ainda assim, a presidente da STCP, Cristina Pimentel, acredita que venham mais, num “benefício para os seus clientes, para os seus serviços e para a cidade” e acrescenta que o Terminal das Camélias, por exemplo, ficará “exclusivamente dedicado ao serviço eminentemente urbano e ocasional turístico”.

No comunicado divulgado, a Câmara do Porto destacou que piso superior do edifício será “dedicado às galerias de apoio ao passageiro e operadores rodoviários, com espaço de bilheteira e informação, sala de espera, perdidos/achados, cacifos, instalações sanitárias, loja de conveniência e cafetaria, sala de despachos, espaços para motoristas e balneários, bem como salas de gestão e manutenção”.

“O objetivo foi criar um espaço confortável, mas também agradável à vista para que as pessoas pudessem ter contacto com a natureza. Foi com esse propósito que foi decidido fazer um terminal um nível abaixo da cota habitual”, esclareceu o responsável da GO Porto.

Por sua vez, prosseguiu, quando o terminal já estiver a funcionar será concluído “o fim de um túnel que passa por baixo das linhas de caminho-de-ferro e que faz a ligação direta à estação de metro, semelhante ao que já existe a sul e dá acesso às plataformas”.

Contudo, as pessoas poderão na mesma passar porque será “apenas uma questão de acabamentos”, rematou Manuel Aranha.

Recorde-se que o Terminal Intermodal de Campanhã irá constituir um dos principais nós da rede de transporte público, enquanto interface estratégico de um anel de contorno da cidade do Porto, funcionando em articulação com o interface da Casa da Música e o futuro interface do Hospital de S. João.

A empreitada representa um investimento de 12,6 milhões de euros, com cerca de 8,5 milhões vindos de fundos comunitários do programa Norte 2020.

Fotografia: Guilherme Costa Oliveira

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/diga-ola-ao-verao-com-a-sabe-bem/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=sabebem&utm_campaign=sabebem