PUB
Junta da Galiza

Terminal Intermodal de Campanhã vai reduzir gases com efeitos de estufa no centro da cidade

Terminal Intermodal de Campanhã vai reduzir gases com efeitos de estufa no centro da cidade

A Câmara Municipal do Porto informou esta terça-feira que a obra do Terminal Intermodal de Campanhã (TIC), que apelida como um “projeto revolucionário para os transportes e para a mobilidade no Porto”, e cuja conclusão está prevista para o segundo semestre do ano, vai ter um impacto muito significativo na redução de gases com efeito de estufa no centro da cidade. 

Em causa, adiantou o diretor municipal de Mobilidade e Transportes, Manuel Paulo Teixeira, está a redução, “em apenas cinco anos, de cerca de 1.776 toneladas equivalente a petróleo”. 

Neste sentido, sublinha município, o Terminal Intermodal de Campanhã assume-se também como pioneiro “no campo da sustentabilidade ambiental”, uma vez que seguirá a estratégia de “retirada gradual dos transportes pesados de passageiros dos centros urbanos”, que tem já sido implementada em outras cidades europeias. 

“A decisão vai permitir não só aliviar a poluição atmosférica que se concentra nestes núcleos, como também vai reestruturar e disciplinar a largada de passageiros que, a partir dos terminais intermodais, podem, em poucos minutos, aceder ao centro do Porto através da rede da STCP ou de metro”, destaca o comunicado divulgado. 

Segundo informação avançada por Manuel Paulo Teixeira, a estimativa da Câmara Municipal é que se regista, ao longo de um ano, “cerca de 357 mil toques”. “Num pico de atividade, pode receber cerca de mil autocarros por dia” – cerca de 600 autocarros expresso, 400 de transporte público intermunicipal de passageiros e 30 internacionais. 

O TIC, acrescentou ainda, terá “oito cais de embarque e 30 zonas de espera” e estará em funcionamento “24 sob 24 horas”, tendo ainda “ligação direta ao aeroporto”.  

A receita estimada nos primeiros anos ronda os 1,4 milhões de euros, sem contabilizar as receitas provenientes de comércio e publicidade, refere o Porto.. 

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

De recordar que a nova plataforma intermodal contará ainda com áreas utilitárias, como parque de estacionamento, estação de serviço, paragens kiss & ride, parque de bicicletas e de táxis, bem como áreas complementares de apoio ao público, serviços administrativos técnicos. 

Trata-se de um investimento municipal na ordem dos 12,6 milhões de euros. 

Executivo aprovou abertura de concurso público para a aquisição de serviços de operação e manutenção do TIC  

Na mesma reunião em que o diretor municipal de Mobilidade e Transportes avançou com estes números, o Executivo Municipal aprovou a abertura para a aquisição de serviços de operação e manutenção do Terminal Intermodal de Campanhã assim como o fornecimento de todos os bens, equipamentos e sistemas. 

O concurso público internacional para a prestação de serviços para a operação e manutenção do Terminal Intermodal de Campanhã apresenta um preço-base de cerca de 6,35 milhões de euros (sem IVA). 

Uma das principais razões para a diferença orçamental, explicou Rui Moreira, prende-se com o parque de estacionamento em regime park&ride. “O equipamento, que terá uma capacidade para 268 lugares, «não se paga a si próprio», pelo que autarquia decidiu fazer uma «discriminação positiva», tendo em conta as vantagens deste modelo, deixando antever que o tarifário aplicável apresentará valores muito reduzidos”. 

Depois dos primeiros três anos, a operação e manutenção do Terminal de Campanhã pode vir a ser assegurada pela STCP Serviços, salientou o autarca. 

PUBLICIDADE
PUB
PD- Revista Sabe bem