Santander Escolhas

Águas do Porto vai produzir e distribuir energia

Águas do Porto vai produzir e distribuir energia

A empresa municipal Águas do Porto vai disponibilizar “serviços abrangentes e especializados aos munícipes também no domínio energético”, anunciou a Câmara do Porto.

A esfera de atuação da Águas do Porto foi alargada agora ao setor da energia, transformando-se numa empresa de utilities integrada.

O Município do Porto quer ser “exemplo na transição energética” e a alteração dos estatutos da Águas do Porto, aprovada na reunião camarária da passada segunda-feira, “vem dar mais um passo nesse sentido, ao abrir portas à produção e distribuição de energia dentro do universo municipal”, salienta o Porto..

Segundo explica o portal da autarquia, o alargamento de competências tem duas dimensões. “Um primeiro, com foco na transformação da cidade e na partilha de benefícios com os munícipes, como a gestão e desenvolvimento da rede de carregadores para veículos elétricos e a implementação de centros de produção de energia renovável na esfera das instalações municipais, que funcione não apenas para autoconsumo, mas que permita igualmente o fornecimento de energia ao abrigo das novas Comunidades Energéticas Renováveis, a estabelecer dentro do âmbito geográfico do Porto”, o que pode acontecer até ao final do ano, avança o vice-presidente da Câmara do Porto, Filipe Araújo.

A segunda dimensão está focada na “eficiência interna do Município”, englobando a definição de uma estratégia energética municipal integrada e a gestão dos contratos de fornecimento de energia elétrica dos consumos próprios e públicos. Abarca ainda o apoio à gestão do contrato de concessão de distribuição de energia elétrica em baixa tensão, a implementação de projetos de eficiência energética em instalações municipais e a negociação dos excedentes gerados pela produção de energia.

“Esta alteração do objeto social da Águas do Porto explora as sinergias existentes entre os setores da Água e da Energia, e segue a aposta que a empresa municipal tem feito em matéria de eficiência energética, tendo sido mesmo a primeira entidade do universo municipal a instalar, na sua sede, na Rua do Barão de Nova Sintra, um parque de painéis fotovoltaicos há dois anos”, acrescenta a autarquia.

O presidente do conselho de administração da Águas do Porto, Frederico Fernandes, garantiu que o alargamento dos serviços prestados assentará numa lógica de serviços partilhados e, nesse sentido, “não será suportada pelas faturas de água e saneamento”.

De salientar que o Porto aderiu ao Pacto dos Autarcas para o Clima e Energia, comprometendo-se a reduzir as suas emissões até 2030 em 50% face a 2004. 

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/um-regresso-saboroso-com-a-sabe-bem/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=23092022-edicao69utm_campaign=sabebem