CIN Vinylclean

Voltar à rotina depois dos excessos da Páscoa

Voltar à rotina depois dos excessos da Páscoa

Depois de um fim de semana marcado por excessos, habituais no período da Páscoa, em que as amêndoas, o pão de ló e os ovos de chocolate são reis das mesas portuguesas, é hora de voltar a entrar na rotina. E este nem sempre é um processo fácil, uma vez que o consumo de açúcar é considerado viciante.

O seu consumo excessivo é um dos maiores responsáveis pelo aumento dos níveis de obesidade em Portugal, sobretudo nas crianças, servindo, inclusive, como ponto de partida para o desenvolvimento de muitas outras doenças. Por isso, é fundamental saber controlar a ingestão de açúcar e, simultaneamente, educar o paladar.

Para o conseguir fazer, Rita Rocha de Macedo, nutricionista, recomenda a adoção de seis hábitos simples, que devem ser cumpridos diariamente, de forma a desbravar caminho para uma alimentação mais saudável. A primeira dica, citada pel’O Sapo, passa por adotar a água como “bebida de eleição”.

“Os sumos de fruta naturais, como, por exemplo, o sumo de laranja, podem levar quatro ou cinco peças de fruta, e, apesar de esta ser saudável, não deixa de ser fruta a mais. Se continuar a beber refrigerantes, ainda que light, o sabor doce continua lá”, lê-se.

Por sua vez, é também importante não se “fiar” no açúcar saudável, uma vez que mesmo que esses, como o de coco, mascavado ou mel, sejam melhores do que os açúcares refinados, não deixam de ser açúcares.

Adicionalmente, a nutricionista aconselha os cidadãos a reduzir a quantidade de adoçante utilizado para adoçar o café ou o chá. Deve utilizar-se “uma colher de sobremesa” e ir reduzindo para “uma colher de chá ou café”, até que seja mesmo possível não utilizar qualquer quantidade de adoçante.

Este cuidado estende-se ainda ao consumo de iogurtes, devendo ser privilegiados, essencialmente, os iogurtes naturais ao invés dos iogurtes de aromas, que também têm adição de adoçantes. Para quem não gostar do sabor do iogurte natural, pode sempre adoçá-lo com alguma “fruta ou canela”.

Nas horas em que a fome aperta, deve optar-se por consumir snacks “ricos em gordura e/ou proteína”, como as oleaginosas, que promovem uma sensação de saciação mais duradoura.

Por último, Rita Rocha de Macedo alerta para a importância de saber ler os rótulos alimentares e identificar a presença de açúcar, que muitas vezes está “camuflado” por detrás de nomes como “glucose, frutose, dextrose, sacarose, maltodextrina, maltose, xarope de glucose/frutose/milho, agave, mel, melaço, caramelo, xarope de ácer, açúcar invertido, geleia, cana-de-açúcar”.

PUB
www.pingodoce.pt/responsabilidade/bairro-feliz/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=candidaturas&utm_campaign=bairrofeliz

Viva! no Instagram. Siga-nos.