PUB
Junta da Galiza

Vinho do Porto

Vinho do Porto
O “Néctar do Douro” em dicionário ilustrado

Conta a história do Vinho do Porto, das personalidades que lhe estão ligadas, das casas e locais de produção, das Quintas da Região Demarcada do Douro, das ferramentas da tanoaria e de tudo o que possa estar associado a esta bebida, apreciada por pessoas de todo o mundo. O Dicionário Ilustrado do Vinho do Porto já chegou a Portugal e promete revelar os segredos de um néctar com mais de dois séculos e meio de vida.

Distingue-se dos restantes vinhos pelas suas características particulares e já conquistou fãs em todo o mundo pela intensidade de aromas, vasta gama de doçuras e diversidade de cores.
As várias páginas dos 250 anos de história do Vinho do Porto podem, agora, ser consultadas num Dicionário Ilustrado, que já existia no Brasil e que chegou esta semana a Portugal, com a chancela da Porto Editora. O projeto juntou o português Manuel Pintão, mestre fundador da Confraria do Vinho do Porto, e o enófilo brasileiro Carlos Cabral, que criou a Sociedade Brasileira dos Amigos do Vinho. Os autores não escondem a vontade de, futuramente, lançarem uma edição em inglês.

vinho_portoO manual, com seis centenas de páginas, apresentado na passada quarta-feira, é já uma versão aumentada comparativamente à primeira edição da obra, que surgiu, em 2011, em território brasileiro. O projeto resultou de um período de seis anos de pesquisa, desenvolvida de ambos os lados do Atlântico, apresentando aos leitores os eventos relevantes do Vinho do Porto e da sua história, as figuras, os regulamentos, casas e locais de produção, os vocábulos e nomes das ferramentas da tanoaria e todos os elementos associados à produção deste “Néctar do Douro”.

Processo de pesquisa com “revelações enriquecedoras”

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

Em declarações à Viva, os autores do dicionário explicaram que a intenção do projeto foi exatamente a de “dar o máximo de informação” sobre a história do Vinho do Porto, “as instituições que ao longo do tempo se ocuparam dele”, as Quintas da Região Demarcada do Douro, os comerciantes e as firmas que lhe estão associadas e ainda sobre a sua ligação ao cinema, teatro, música, literatura, cultura popular, tradições e gastronomia regional, legislação e estatística. Interessa sublinhar que a obra apresenta ainda fotografias e ilustrações.

cavesO período de preparação de todo o trabalho desenvolvido foi vivido “intensamente” por Manuel Pintão e Carlos Cabral, que se depararam com “revelações extremamente enriquecedoras”. O que mais os surpreendeu? “A enorme ligação do Vinho do Porto à História de Portugal, nomeadamente à Região do Douro e cidade do Porto, o trabalho árduo dos que se ocuparam da produção e a dedicação que muitas pessoas lhe consagraram”, confessaram. Segundo defendeu o presidente do Instituto dos Vinhos do Douro e Porto, Manuel de Novaes Cabral, o facto de o dicionário “resultar da convergência de perspetivas de dois autores de diferentes países, Portugal e Brasil, traz valor acrescentando do mercado brasileiro, que é muito importante para o Vinho do Porto”.

Uma obra para todos

O projeto partiu “da paixão dos seus autores” por esta bebida, que já conquistou milhões de fãs em todo o mundo. “O Vinho do Porto, pelo seu passado e pela sua grande personalidade, merece de todos os que o apreciam o maior respeito”, sublinharam, convidando o público a descobrir um mundo capaz de surpreender e entusiasmar.

Texto: Mariana Albuquerque    |    Foto dicionário: Porto Editora

PUBLICIDADE

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/uma-pascoa-saborosa-com-a-sabe-bem/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=0324-sabebem78&utm_campaign=sabebem