PUB
PD-Bairro Feliz

U.Porto é assistente no processo de alegado desvio de 77 mil euros na Faculdade de Dentária

U.Porto é assistente no processo de alegado desvio de 77 mil euros na Faculdade de Dentária
A Universidade do Porto (U.Porto) constituiu-se assistente num processo relacionado com o alegado desvio de 77 mil euros da Faculdade de Medicina Dentária (FMDUP) em abril de 2015.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

O diretor da FMDUP, em entrevista à Lusa, Miguel Pinto, confirmou que a U.Porto já se constituiu como assistente num processo relacionado com o “roubo de 75 mil euros em dinheiro e um cheque de dois mil euros da FMDUP” em abril de 2015.
Os 77 mil euros desapareceram de dentro de uma pasta que estava em cima da secretária de uma funcionária da instituição. A secretária foi suspensa por oito meses por “negligência grosseira” e encontra-se a “cumprir castigo há dois meses”, adiantou Miguel Pinto.
Segundo Miguel Pinto, a Polícia Judiciária realizou duas buscas à FMDUP, uma em outubro de 2015 e outro em março de 2016 “na sequência do roubo de 2015” e durante as buscas foram apreendidos “milhares de documentos de contabilidade da Faculdade de Medicina Dentária”, referentes aos anos de “2010 a 2014”.
De acordo com diretor da FMDUP, este alegado desvio de dinheiro “levanta questões de intranquilidade”. Todavia, aquele responsável assegura que o ensino da Medicina Dentária aos alunos e os tratamentos médicos nunca foram colocados em causa e que “as contas estão positivas”.
Em maio, o diretor da FMDUP já havia confirmado a existência de duas buscas pela Polícia Judiciária em outubro de 2015 e março deste ano, com apreensão de documentos contabilísticos relativos ao período entre 2010 e 2014, e disse ter ficado “muitíssimo surpreendido com a primeira busca e chocado com a segunda”.
O reitor da Universidade do Porto, Sebastião Feyo de Azevedo, sublinhou, na altura e no âmbito deste caso, que a UP “desenvolve a sua atividade com total transparência e no respeito e cumprimento dos princípios de boa gestão dos dinheiros públicos”.
“Em qualquer potencial sinal de desvio destes princípios a reitoria é promotora e parte ativa de todas as iniciativas necessárias para o esclarecimento total das situações que suscitem dúvidas”, acrescentou o reitor.

PUBLICIDADE

PUB
PD- Revista Sabe bem