PUB
Sogrape - Mateus Rosé

Tudo sobre o Dia de São Valentim

Tudo sobre o Dia de São Valentim

Na VIVA!, fizemos uma viagem no tempo e desvendámos a história por trás deste dia. Além disso, trouxemos as tradições pelo mundo, e vamos revelá-las aqui, para que possa celebrar a época mais romântica do ano da melhor maneira possível.

Viagem ao Império Romano

Ao contrário do que se pensa, o “Dia de São Valentim” não é só um dia “para gastar dinheiro”. Esta data já é celebrada desde o Império Romano.
Numa época em que a guerra e a vida militar reinavam, o bispo Valentim de Roma, desafiava as ordens do imperador Cláudio III, e casava os jovens soldados, proibidos pelo soberano que achava que estes seriam melhores soldados se fossem solteiros e sem família. Assim que foi descoberto, Valentim foi preso.

Relacionada com a origem deste dia, está, ainda, a lenda que o bispo se apaixonou por Artérias, a filha cega do guarda das masmorras onde o mesmo cumpria pena e acabou por ser condenado à morte. No dia da sua execução, enviou uma mensagem de despedida a Artérias, que entretanto teria recuperado a visão graças a um milagre do bispo, e assinou como “do teu Valentim”.
Considerado um mártir, a data da sua morte, 14 de fevereiro, ficou conhecida como o “Dia de São Valentim” e a celebração deste dia permanece até aos dias de hoje.

“Dia de São Valentim” pelo mundo

Em Portugal e Espanha, é maioritariamente festejado com um jantar romântico, oferta de rosas vermelhas, caixas de chocolate em forma de coração ou um simples cartão com uma mensagem cheia de paixão.

Os britânicos seguem a mesma forma de celebrar, com a diferença que estendem as ofertas a todas as pessoas, e não só, especiais. Isto inclui, além dos românticos, os amigos, a família e os animais de estimação. No País de Gales o costume é oferecer colheres de pau, com diferentes formas e geralmente decoradas com cadeados em forma de coração, e as respetivas chaves.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

Na Itália, há uma tradição que chega aos poucos a Portugal e já se pode ver em alguns locais, como a Ponte Luís I, no Porto: cadeados são colocados em pontes ou grades, sendo a chave deitada fora, como forma de declaração de amor eterno.

Os alemães, por sua vez, tiveram o primeiro “Baile dos Namorados” em 1950, na cidade de Nuremberga, e deste então festejam o “Valentinstag” (Dia de Valentim, em alemão). São trocados cartões ou peluches em forma de “porcos-cupido” que, além de considerados românticos, simbolizam a sorte. Além disso, as bolachas de gengibre, em forma de coração e decoradas com frases românticas, também fazem parte da tradição.

Na Dinamarca, a flor eleita para oferta não é a rosa, mas sim a Galanthus, mais conhecida como “floco de neve”. Também neste dia, os dinamarqueses oferecem as “gaekkebrev”, que consistem em poemas de amor, que são entregues anonimamente. Se a pessoa que recebe a carta conseguir adivinhar quem a enviou, recebe um ovo da Páscoa nesse mesmo ano.

E como o amor não se restringe às relações amorosas, em alguns países da América Latina, é celebrado o “Dia do Amor e da Amizade”, e são oferecidos presentes ou atos de carinho e reconhecimento aos amigos. Na Guatemala é organizado um desfile, chamado “Amor Antigo” onde os seniores da comunidade passeiam pelas ruas com roupas de cores vivas e adereços festivos. Já na República Dominicana, o foco são as crianças, que, entre si, trocam presentes simbólicos, à semelhança do “Pai Natal Secreto”.

Nas Filipinas, a tradição são as cerimónias onde vários casais unem o matrimónio em simultâneo. Os oficiais do governo são responsáveis pelo casamento e, na maioria das vezes, é um evento gratuito que inclui flores, bolo de casamento, e até alianças, para todos os casais. Isto faz, claro, com que uma grande parte das pessoas deste país partilhem o “aniversário de casamento” no mesmo dia.

No Japão, o “giri-choco”, onde as mulheres oferecem chocolates aos homens especiais na sua vida, sejam eles namorados ou amigos, é a tradição do Dia de São Valentim. A situação é invertida logo no mês seguinte, e no dia 14 de março, chamado “Dia Branco” é o dia dos homens corresponderem com chocolates brancos.

Já em tradição mundial, este dia é muito convidativo para pedir a cara-metade em namoro ou casamento.

PUBLICIDADE

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/uma-pascoa-saborosa-com-a-sabe-bem/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=0324-sabebem78&utm_campaign=sabebem