Sogrape

Sugestões 7 Dias

Sugestões 7 Dias

O Grande Porto está repleto de bons e variados eventos para os próximos dias. Veja as nossas sugestões e escolha as que mais lhe agradam!

Aproveite o tempo ainda ameno e vá assistir ao pôr do sol, sozinho ou bem acompanhado, desfrutando da melhor forma do seu momento de descanso. Se ainda não sabe os melhores locais, no Porto e em Gaia, para ver o pôr do sol, leia a nossa reportagem para se inspirar.

CONCERTOS

Obras Portuenses da década de 20
Partindo dos quatro territórios do Cultura em Expansão, em 2021, foi feito um convite a quatro compositores portuenses para uma reflexão, traduzida sob a forma de música, que espelhasse aquilo que é a vida no Porto de hoje. Em 2022, desafiamos novos compositores – Ângela Lopes, Isabel Soveral, Cândido Lima e Álvaro Salazar – a juntarem-se a este projeto que pretende ouvir hoje a cidade, para pensar o amanhã. E para que isso possa acontecer, as obras serão interpretadas por um quarteto escolhido propositadamente para este projeto, incluindo alguns dos melhores instrumentistas portuenses do panorama erudito, os quais terão também um papel ativo na materialização destas obras.
Local: Igreja de S. Pedro de Miragaia
Data: 30 de setembro
Hora: 21h30

Kuia Só
As emblemáticas festas de semba no Ferroviário chegam, finalmente, ao Porto. Preparados para uma lição de história da música angolana com um salto a Cabo Verde?
Uma festa que cruza, de forma inédita, o semba tradicional e os beats do kizomba, para celebrar a vida e a liberdade. Ao jeito das antigas kizombadas, só uma coisa interessa: dançar ao som da passada, com música ao vivo, DJ set e um convidado muito especial: NBC – Natural Black Color.
Kuia Só tem banda: David Pessoa, voz e guitarra (membro dos Fogo Fogo e Cais Sodré Funk Connection); Ivo Costa, na bateria (músico de Sara Tavares, Paulo Flores, Carminho e Batida); Rui Pedro Pity, no baixo (Black Mamba, Sara Tavares e Carolina Deslandes); e Rui Pité, também conhecido como DJ Riot (Buraka Som Sistema e Bateu Matou).
Local: Coliseu do Porto
Data: 1 de outubro
Hora: 18h00

François Chaignaud + Tânia Carvalho / Dançando com a Diferença
Os brasões (blasons) são conhecidos como símbolos heráldicos. Em torno de Clément Marot, um grupo de poetas da corte comprometeu-se coletivamente a brasonar partes do corpo feminino, ou seja, observá-las, descrevê-las e elogiá-las. Esses brasões – dedicados à garganta, aos lábios, à sobrancelha, ao pé ou ao mamilo – deram depois origem aos contrabrasões, seus homólogos satíricos e críticos. O corpo do outro – o corpo do brasonado – torna-se campo de observação – divisível e apropriável. Com os artistas da Dançando com a Diferença, comprometemo-nos a recuperar esta dinâmica do brasão – e revertê-la. — François Chaignaud.
Local: Rivoli
Data: 1 e 2 de outubro
Hora: 19h30 e 17h00

Andrea Parkins
Andrea Parkins é artista sonora e compositora focada na eletrónica interativa como processo composicional/performativo. É conhecida pela sua abordagem gestual/textural pioneira com acordeão processado eletronicamente, e pela investigação da incorporação e do acaso nos seus instrumentos de software personalizados. Entre a sua vasta lista de colaborações contam-se artistas como Ute Wassermann, Magda Mayas, George E. Lewis, Nels Cline, Matthew Ostrowski, The Necks, Vera Mantero, The Body Cartography Project, Abigail Child. À Bouça, chega-nos a solo para uma atuação, no mínimo, surpreendente.
Local: Associação de Moradores da Bouça
Data: 1 de outubro
Hora: 19h30

Tiago Iorc
Depois de mais de três anos afastado dos palcos e dos holofotes, o autor de “Coisa Linda” e “Amei Te Ver” chega para actuar ao vivo em Portugal numa série de concertos intimistas e exclusivos. Desde 2008, ano da sua estreia, Tiago Iorc já lançou cinco álbuns de estúdio e dois ao vivo, que lhe renderam vários Grammy latinos, incluindo o de Melhor Álbum Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa (Troco Likes). São também muitas as colaborações de sucesso que constam do seu currículo, nomeadamente com nomes como Maria Gadú, Silva, Sandy ou Milton Nascimento.
Local: Casa da Música
Data: 1 de outubro
Hora: 22h00

Luis Pestana + Aires
Após vários anos a fazer a sua guitarra “soar a tudo menos uma guitarra”, nas palavras do próprio, Luis Pestana desviou a sua atenção para a eletrónica e para um universo onde sons são apenas sons, onde instrumentos, samples e field recordings se misturam de um modo que faz recordar as texturas de Oneohtrix Point Never ou Ben Frost. A liberdade que encontrou nesse meio tornou possível uma surpreendente incursão pelo Portugal tradicional, que alia as tão humanas vozes de Janita Salomé e de Vitorino, entre outros, às camadas criadas digitalmente. Em estreia no Porto, Luís Pestana trará consigo “Rosa Pano”, o seu primeiro álbum, descrito pelo jornal Público como “uma surpresa feliz na música electrónica, fez um universo.“
Com ele virá também Aires, um já veterano na cena musical lisboeta, seja sob esse nome ou em projetos como Fashion Eternal, Peak Bleak, Scolari e Hot Dancerzzz. O co-fundador do Colectivo Casa Amarela virá apresentar os seus últimos trabalhos noutra estreia em palcos portuenses e, com uma abordagem à eletrónica bem distinta da de Luís Pestana, será o responsável pela primeira parte desta viagem em dois movimentos a ter lugar no Understage.
Local: Rivoli
Data: 1 de outubro
Hora: 22h30

Holland Andrews
Holland Andrews oscila entre a voz, a composição e a performance. No seu trabalho, tem vindo a trabalhar técnicas vocais muito próprias, de forma a construir paisagens sonoras que abrangem tanto momentos de catarse como de dissonância. Aborda frequentemente temas relacionados com vulnerabilidade, regeneração e emoção nas suas múltiplas formas. Constrói a sua música através da conjugação da voz e do clarinete com a eletrónica, num ambiente performativo intenso e genuinamente original, onde se misturam géneros como a ópera contemporânea, teatro musical, jazz, ambient e noise. Apresentou-se anteriormente a solo como Like a Villain, compondo para dança, cinema e formatos multidisciplinares para autores como Bill T. Jones, Dorothee Munyaneza, Will Rawls ou Demian Dinéyazhi.
Local: Associação de Moradores da Bouça
Data: 4 de outubro
Hora: 19h30

Candlelight: Tributo aos Queen
Os concertos Candlelight trazem a magia de uma experiência musical multissensorial ao vivo a alguns dos locais mais emblemáticos do Porto, nunca antes utilizados para este propósito. Compra já os teus bilhetes e redescobre a música dos Queen no Novo Ático, iluminado pela ténue luz das velas.
Local: Coliseu do Porto
Data: 6 de outubro
Hora: 19h30

EXPOSIÇÕES

Cindy Sherman: Metamorfoses
Cindy Sherman: Metamorfoses apresenta uma série de obras que atravessam a carreira da artista desde o seu início até às obras mais recentes. A exposição foi organizada por Serralves em diálogo com a artista e em parceria com a The Broad Art Foundation, Los Angeles, uma instituição que coleciona exaustivamente o trabalho de Sherman há mais de trinta anos.
Sobretudo conhecida por imagens em que se retrata como modelo da sua própria obra, encarnando o papel de estereótipos femininos convencionados pelos média num vasto leque de personagens e ambientes, Cindy Sherman fotografa sozinha no seu estúdio, atuando como diretora artística, fotógrafa, maquilhadora, cabeleireira e intérprete do papel a desempenhar. A prática do retrato que iniciou há décadas é responsável por algumas das mais marcantes e influentes imagens da arte contemporânea. Para esta ambiciosa apresentação em Serralves, as salas do Museu sofrerão uma radical transformação, criando cenários teatrais para acolher o storyboard que as fotografias da artista compõem. A mostra incluirá também um trabalho inédito, especialmente concebido para o Museu de Serralves: um extenso mural fotográfico, que dará à exposição uma singularidade adicional.
Local: Museu de Serralves
Data: 4 de outubro
Hora: 22h00

Convergência
A exposição reúne cerca de 20 obras e quatro temáticas de diferentes fases da vida artística de Luiz Martins, que passam, pela pintura, escultura e joalharia e nos contam a história de um Brasil primitivo trabalhada para o nosso contemporâneo.
Todas as obras de Luiz Martins são composições abertas, permitindo ao detentor da obra, em qualquer momento, reconstruir a sua estrutura compositiva, criando novas possibilidades visuais.
A curadoria é da arquitecta Joana Marcelino que encontrou o momento certo para apresentar duas realidades e dois universos que convergem, a Wewood e o traço de Luiz Martins.
Local: Loja Wewood
Data: até 19 de Janeiro de 2023

ESPETÁCULOS

Monólogos da Vagina
Os Monólogos da Vagina são compostos por vários pequenos textos/monólogos. Cada um deles lida com a experiência feminina, abordando assuntos como sexo, prostituição, imagem corporal, amor, estupro, menstruação, mutilação genital feminina, masturbação, nascimento, orgasmo, os vários nomes comuns para a vagina ou simplesmente como uma parte física do corpo feminino. Um tema recorrente em toda a peça é a vagina como uma ferramenta de capacitação feminina e a personificação máxima da individualidade.
Local: Coliseu do Porto
Data: 30 de setembro
Hora: 21h00

Lar Doce Lar
“Lar Doce Lar”, o espetáculo que juntou pela primeira vez em palco Joaquim Monchique e Maria Rueff. Duas idosas que partilham um quarto na Residência Sénior Antúrios Dourados embarcam numa competição desmedida por um quarto particular após a “partida” da sua anterior ocupante. Com o brilhantismo cómico a que já nos habituaram, Maria Rueff e Joaquim Monchique desdobram-se em múltiplas personagens e levam-nos numa viagem atribulada e hilariante pelos quatro cantos deste doce lar.
Local: Teatro Sá da Bandeira
Data: 30 de setembro e 1 e 2 de outubro
Hora: Sexta-feira e sábado às 21h00 e domingo às 16h00

Mãe
Mães. Professoras, cuidadoras, cozinheiras, enfermeiras, educadoras, gestoras. Suficientes em todas estas áreas, estas senhoras marcam-nos para a vida com panos amarrados às pernas da mesa e frases como “Cheiras a tabaco” ou “Vai lá que eu fico aqui bem sozinha”. A estas profissionais do medo chamamos Mãe. O meu segundo solo de stand up é dedicado a elas. Ao nosso chão, ao nosso teto, ao nosso céu. À minha, à dos meus filhos e à tua. Porque a tua Mãe é que é.
Local: Teatro Sá da Bandeira
Data: 1 de outubro
Hora: 21h30

Khronos
O tempo que corre e não pára. O tempo que nos pressiona, que nos faz correr, que corre e que achamos que nunca temos. E, na verdade, quem sabe quanto tempo temos?
Usemos o tempo, criemos memórias, vivamos e deixemos a nossa marca.
Neste pequeno grão temporal, deixamos na memória de cada um, um espectáculo único que une pelo amor à acrobática, à dança, à ginástica, ao canto e ao circo. O tempo passará a correr de tanto entusiasmo, mas a memória perdurará.
Local: Coliseu do Porto
Data: 4 de outubro
Hora: 21h00

Guilherme Duarte – Limbo
As dúvidas. As incertezas. As inseguranças. A vida é um constante limbo e a descida ao inferno é certa para qualquer humorista que brinque com temas sérios. Neste espetáculo, o 3º a solo, Guilherme Duarte guia o público pelos vários níveis do inferno. Será que o humorista terá redenção? Não sabemos, mas pelo menos fica com os bolsos mais cheios se comprarem bilhetes.
Local: Teatro Sá da Bandeira
Data: 4 e 5 de outubro
Hora: 21h30

Master Roast Bruno de Carvalho
Um mega assado servido a Bruno de Carvalho com apresentação de Fernando Rocha e com um extraordinário painel de convidados: Victor Sarro (humorista brasileiro), Victor Espadinha, Ana Arrebentinha, Alexandre Santos, Hugo Sousa, Rui Xará e Cláudia Martins (Minhotos Marotos).
Estão todos convidados para assistir e degustar este Master Roast Bruno de Carvalho, um espetáculo muito especial, único e super divertido.
Local: Super Bock Arena
Data: 5 de outubro
Hora: 21h30

Tutto Brucia
Depois de MDLSX, a companhia italiana Motus regressa com Tutto Brucia, uma reescrita de As Troianas, de Eurípides, com encenação de Daniela Nicolò e Enrico Casagrande. Da outrora esplendorosa Troia nada mais sobra do que cinzas (tudo arde, diz o título original) e restos de monstros marinhos. Num palco vazio, Hécuba, Cassandra, Policena e Andrómaca choram o seu infortúnio e a brutalidade da guerra. “O que torna uma vida digna de luto?” Tutto Brucia relê o drama grego através das palavras de Jean-Paul Sartre, Judith Butler, Viveiros de Castro, NoViolet Bulawayo, Donna Haraway e das canções ao vivo de R.Y.F. (Francesca Morello), fazendo esse lamento reverberar pelas vidas perdidas hoje nas águas do mesmo Mediterrâneo. Nunca o luto foi tanto uma questão política. “Quais as vidas que contam?” As troianas de Tutto Brucia dão voz a todos esses espectros, acedendo a uma transformação através da dor e da violência sofridas. A sua metamorfose abre a possibilidade de outras formas e de um novo mundo por vir.
Local: Teatro São João
Data: 6 e 7 de outubro
Hora: 19h00 e 21h00

OUTROS EVENTOS

Os Doces Bárbaros
A 4 de outubro acompanhamos “Os Doces Bárbaros”, ou seja, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Bethânia e Gal Costa, na digressão que fizeram em 1976 para comemorar os 10 anos das suas carreiras. Juntos formaram o grupo “Doce Bárbaros” e percorreram o Brasil. O documentário recorda os dramáticos acontecimentos que rodearam o grupo, com a prisão de Gilberto Gil, em Florianópolis, e o internamento compulsivo numa clínica de desintoxicação de onde só saía para participar nos espetáculos.
Mesa redonda com Luca Argel e Gabriela Gonçalves e moderação de Pedro Nascimento.
Local: Coliseu do Porto
Data: 4 de outubro
Hora: 19h00

Workshop com Holland Andrews
Neste workshop, os participantes irão explorar a meditação guiada, a prática de materialização corporal da voz, a performance improvisada e a colaboração enquanto veículos para unificar a ligação com as nossas vozes, corpos e imaginação. Todas as capacidades vocais e corpos são encorajados a participar já que a intenção é simplesmente criar novas vias de expansão e transmutação das profundezas dos nossos universos interiores através da expressão vocal. Usaremos a nossa própria voz para descobrir mais sobre a nossa capacidade de olhar para dentro e perceber que sons as nossas partes invisíveis são capazes de produzir. Recorrendo a drones, listas de gratidão, estímulos da improvisação e uma forma única de canto meditativo criada especificamente para este workshop, iremos naturalmente libertar-nos e descobrir-nos de uma forma que se espera que possa permanecer connosco e nas nossas vidas quotidianas.
Local: Associação de Moradores da Bouça
Data: 5 de outubro
Hora: 15h00

FILMES

Sorri
Título Original: Smile
De: Parker Finn
Com: Sosie Bacon, Jessie T. Usher, Kyle Gallner
Género: Terror
Classificação: Pendente
Outros dados: 115 minutos
Depois de testemunhar um bizarro e traumático incidente envolvendo uma paciente, a Dra. Rose Cotter começa a viver momentos assustadores que não consegue explicar. À medida que um terror avassalador começa a apoderar-se da sua vida, Rose terá de enfrentar o seu passado conturbado, para poder sobreviver e escapar a esta terrível nova realidade.

1618
Título Original: 1618
De: Luís Ismael
Com: Pedro Laginha, Catarina Lacerda, Francisco Beatriz
Género: Drama
Classificação: M12
Outros dados: 90 minutos
Porto, 1618. Matos de Noronha, Visitador da Inquisição, dirige-se para a cidade, numa carruagem escoltada pela sua guarda. Muitos cristãos-novos são suspeitos de terem praticado heresias judaicas. António Álvares, mercador e filantropo respeitado pelos habitantes do Porto, é o primeiro alvo da Visitação. A fuga parece ser o seu único caminho. A Inquisição continua a perseguir os judeus portugueses, enviando o Visitador Sebastião de Noronha para a cidade do Porto. Com a família e a sua comunidade em perigo, António Álvares, decide delinear um plano de fuga. Baseado em factos verídicos, o filme “1618” conquistou mais de 50 prémios internacionais em festivais de cinema, tornando-se o filme português mais premiado de sempre.

Boa Sorte, Leo Grande
Título Original: Good Luck to You, Leo Grande
De: Sophie Hyde
Com: Emma Thompson, Daryl McCormack, Isabella Laughland
Género: Drama
Classificação: M14
Outros dados: 97 minutos
Nancy Stokes (Emma Thompson), uma professora reformada e viúva, anseia por um pouco de aventura, algum contacto humano e sexo. Sexo de qualidade. Embora o marido lhe proporcionasse um lar, uma família e algo de semelhante a uma vida, nunca houve sexo de qualidade. Mas ele morreu e Nancy tem vontade de experimentar muitas coisas, pelo que contacta um trabalhador sexual chamado Leo Grande (Daryl McCormack). Num quarto de hotel, Nancy irá conversar, para além de fornicar. Leo é uma pessoa agradável e tem opinião sobre tudo, e embora nem sempre diga a verdade, Nancy descobre que gosta dele. E ele gosta dela. Com a crescente confiança sexual, Nancy começa a descontrair-se. Ao longo do encontro, a dinâmica de poder muda e as suas máscaras habituais começam a ceder.

Nunca Nada Aconteceu
Título Original: Nunca Nada Aconteceu
De: Gonçalo Galvão Teles
Com: Filipe Duarte, Ana Moreira, Rui Morisson
Género: Drama
Classificação: M16
Outros dados: 124 minutos
Pedro, Maria e Paulo, três jovens inseparáveis, enfrentam os dramas e desilusões próprios da idade, em que os seus encontros são os únicos momentos de felicidade e liberdade, onde experimentam e arriscam o que ninguém pode saber. Em casa, Pedro encontra um pai desempregado e apático, uma mãe ausente e dissimulada. No dia em que o avô se muda para a casa da família em Lisboa vindo de uma aldeia isolada no Norte, o neto confronta-se com um dilema: dar uma oportunidade a quem o quer realmente conhecer ou manter o pacto de libertação que o une aos amigos. O caminho escolhido deixará a família num abismo de remorsos, que tornará impossível fingir que Nunca Nada Aconteceu.

PUB
www.pingodoce.pt/responsabilidade/premio-literatura-infantil/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_campaign=pli