Sogrape

As soft skills mais procuradas pelas empresas

As soft skills mais procuradas pelas empresas

Numa altura em que o mercado de trabalho se torna cada vez mais complexo e competitivo, as habilidades técnicas, competências adquiridas ao longo do percurso académico ou experiência profissional, tornaram-se insuficientes sozinhas para quem se procura destacar. Mais do que nunca, de acordo com os especialistas, são as habilidades comportamentais, conhecidas como soft skills, que vão sendo desenvolvidas ao longo da vida dos profissionais, que se destacam e que passaram a ser sobrevalorizadas pelas empresas.

Uma das primeiras e principais característica, atualmente, procuradas pelas empresas, é, segundo a Hotmart, a capacidade de criatividade dos trabalhadores. “Lidar com um ambiente em constante transformação e dividir o espaço de trabalho com tantos recursos tecnológicos exige criatividade para propor soluções inovadoras”, indica, acrescentando que a criatividade é algo que se “alimenta das nossas vivências e conhecimentos acumulados ao longo dos anos”.

Ser uma pessoa persuasiva é também interessante não apenas para quem trabalha com vendas, mas também para cargos relacionados com a gestão de pessoas, marketing e relacionamento com clientes de maneira geral. “Saber persuadir as pessoas para que compreendam a importância e o valor de produtos, serviços e ideias não é algo que qualquer pessoa consiga fazer, por isso é considerada uma habilidade valiosa”.

Adicionalmente, também o trabalho em equipa e a boa capacidade de adaptação “a novas rotinas, processos e tecnologias” constituem fatores cruciais no momento devas empresas selecionarem os candidatos. De acordo com a Hotmart, a junção de pessoas tão diferentes na mesma equipa é um verdadeiro desafio no mercado atual, pelo que é essencial “saber comunicar com os colegas e ter espírito de equipa para atingir resultados globais”.

De forma a conseguir “mais produtividade e eficiência”, é também necessário que os trabalhadores saibam fazer uma boa gestão de tempo. Contudo, isso não significa “fazer tido rápido”, mas sim “saber priorizar tarefas, otimizar as atividades e organizar a agenda para entregar tudo o que é necessário com qualidade e cumprindo os prazos”.

A flexibilidade e resiliência são competências igualmente valorizadas no mercado atual, uma vez que, de acordo com vários investigadores, “pessoas flexíveis lidam melhor com as mudanças no ambiente de trabalho, nos processos e até mesmo no mundo e no mercado de forma geral” e as que são resilientes são facilmente capazes de “enfrentar e ultrapassar possíveis crises”. “As pessoas resilientes conseguem encarar situações difíceis com mais assertividade, elaborar estratégias para minimizar danos e reinventar-se sempre que necessário”, sustenta a empresa.

Por último, mas não menos importante, destaca-se também a capacidade de liderança, uma vez que, cada vez mais, os cargos operacionais são mais automatizados e aumentam os cargos de liderança e gestão, estratégicos para os negócios.

Assim, é necessário que os profissionais, cada vez mais, tenham em atenção as competências supracitadas, não descurando, claro, das habilidades técnicas, fator igualmente essencial para alcançar o sucesso profissional.

Viva! no Instagram. Siga-nos.