PUB
Recheio 2024 Profissional

Santuário do Bom Jesus e Palácio de Mafra são Património Mundial da UNESCO

Santuário do Bom Jesus e Palácio de Mafra são Património Mundial da UNESCO

Em território nacional, são agora 17 os locais classificados, além dos 11 que constituem património mundial de origem portuguesa no mundo.

O conjunto composto pelo Palácio, Basílica, Convento, Jardim do Cerco e Tapada de Mafra e o Santuário do Bom Jesus, em Braga, são agora Património Cultural Mundial da UNESCO. A decisão foi comunicada este domingo, durante o Comité da UNESCO, em Baku, no Azerbaijão.

A candidatura dos dois monumentos foi aprovada, sendo que ambos levantaram dúvidas entre o Comité do Património da UNESCO. O Conselho Internacional de Monumentos e dos Sítios (ICOMOS) considerou que a Tapada “não está suficientemente documentada”, logo “sem haver mais informações, não faz sentido recomendar este lugar como Património Cultural Mundial”, declarou a representante do grupo durante o Comité, citado pela agência Lusa.

No entanto, países como o Brasil, a Tunísia e a China defenderam o monumento, que acabou por ser aprovado e é agora Património Mundial. “Mafra reúne todas as condições para ser reconhecido. Desejamos inscrever um edifício de valor extraordinário que tem também um jardim e uma tapada e não o inverso, como indica o ICOMOS”, disse a representação de Portugal, ao defender esta candidatura, citada pelo Observador. 

Relativamente ao Santuário do Bom Jesus, algumas das dúvidas levantadas diziam respeito à autenticidade e integridade do palácio, à preservação e prevenção de acidentes. O Brasil voltou a defender Portugal e declarou que o Santuário cumpre todos os critérios para ser considerado Património Mundial. A representante daquele país acrescentou ainda que este serviu de inspiração para o complexo do Bom Jesus de Congonhas, no Brasil, que já consta da lista da UNESCO. 

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

Portugal conta já com 17 locais classificados em território nacional, havendo ainda 11 que constituem património mundial de origem portuguesa no mundo.

O Centro Histórico de Angra do Heroísmo, o conjunto do Mosteiro dos Jerónimos e a Torre de Belém (em Lisboa), bem como o Mosteiro da Batalha e o Convento de Cristo (em Tomar), foram os primeiros classificados, em 1983.

A estes juntaram-se a Região Vinhateira do Alto Douro, a zona central da cidade de Angra do Heroísmo (nos Açores), a Paisagem Cultural de Sintra, a Cidade-Quartel Fronteiriça de Elvas e as suas Fortificações, o Centro Histórico de Évora, o Centro Histórico de Guimarães, o conjunto do Centro Histórico do Porto, Ponte Luís I e Mosteiro da Serra do Pilar, a Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico, a Laurissilva da Madeira, o Mosteiro de Alcobaça, os locais de Arte Rupestre do Vale do Côa, bem como a antiga Universidade de Coimbra – Alta e Sofia.

A lista do Património Mundial da Humanidade integra atualmente 1092 sítios em 167 países, sendo que alguns deles são de origem portuguesa. São eles o Centro Histórico de Macau, as Igrejas e Conventos de Goa, a Ilha de Moçambique, a cidade portuguesa de Mazagão (El Jadida), a Cidade Velha (em Cabo Verde), o Centro Histórico de Olinda (em Pernambuco, no Brasil), o Centro Histórico de S. Salvador (Baía, no Brasil), o Centro Histórico de Goiás (Brasil), o Centro Histórico de Diamantina (Minas Gerais, Brasil), o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos (Minas Gerais, no Brasil) e ainda o Centro Histórico de Ouro Preto (Minas Gerais, Brasil).

Foto: Santuário do Bom Jesus, Braga

PUBLICIDADE

PUB
PD-Bairro Feliz