PUB
Sogrape - Mateus Rosé

Rui Moreira propõe Liga de Cidades do Norte do país para fortalecer a região

Rui Moreira propõe Liga de Cidades do Norte do país para fortalecer a região

“O Porto, o Porto livre, pode, e mais do que pode, deve, assumir um papel agregador, deixando claro que não tem a pretensão do domínio e que não aspira senão a ser capital de si mesmo”, afirmou o novo presidente da autarquia portuense, Rui Moreira.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, sugeriu esta terça-feira, no seu discurso de tomada de posse, a criação de uma liga de cidades do Norte do país para que seja possível “reivindicar com eficiência direitos e aspirações legítimos”. Para o novo autarca, cada cidade deve compreender e aceitar que, “se de alguma forma não se unir com outras cidades em torno de interesses que são comuns e partilhados, ficará menos forte, mais limitada estrategicamente, mais isolada”. “O Porto, o Porto livre, pode, e mais do que pode, deve, assumir um papel agregador, deixando claro que não tem a pretensão do domínio e que não aspira senão a ser capital de si mesmo”, acrescentou o independente.
Na cerimónia realizada ontem à tarde na Câmara do Porto, Moreira reiterou que integrará “contributos do programa” com que o PS “se apresentou a votos”, defendendo a importância do acordo com os socialistas para o desenvolvimento da cidade e assegurando que quer “ouvir todos”. O pacto assinado no passado domingo com Manuel Pizarro foi elogiado pelo presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, que esteve presente na sessão, sublinhando que os “partidos não se afirmam na mesquinhez e mediocridade do aparelho” mas ao “assumir responsavelmente o seu papel”.
Rui Moreira salientou ainda que nunca desistirá de reivindicar o poder local, defendendo a transferência de mais competências do poder central para as autarquias. “Acredito na importância nodal da descentralização e do poder autárquico, numa perspetiva que, afinal, é de modernidade e de adaptação necessária à evolução das nossas sociedades. O poder local é mais eficiente, é mais económico, é mais racional na utilização de recursos públicos do que outros poderes, e esta cidade é disso demonstração”, referiu.

Combate à pobreza e exclusão e apoio aos desempregados são o “primeiro desígnio”
O primeiro independente eleito para liderar os destinos da autarquia portuense afirmou também que o combate à pobreza e exclusão e o apoio aos desempregados serão o “primeiro desígnio” do presidente da Câmara do Porto. Num discurso de oito páginas, Moreira garantiu estar empenhado em “construir oportunidades”, por não poder “tolerar que os portuenses tenham de abandonar a cidade para encontrarem emprego”. Além disso, mencionou querer manter linhas “de rumo” do autarca cessante, o social-democrata Rui Rio, a quem expressou “gratidão”.

PUBLICIDADE

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/novo-ano-nova-sabe-bem/?utm_source=vivaporto&utm_medium=cpc&utm_campaign=sabebem&utm_term=leaderboardmobile