PUB
CMPorto

Reutilização de manuais escolares em crescimento

Reutilização de manuais escolares em crescimento
Os CTT e o movimento pela reutilização dos manuais escolares Reutilizar.org assinam, na terça-feira, no Porto, um protocolo que permite encaminhar livros de forma gratuita para um dos 177 bancos que existem em Portugal.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

Através deste protocolo, a doação de manuais escolares para reutilização pode ser feita em qualquer uma das lojas dos CTT, bastando para isso pedir “a embalagem solidária, depositar nela os livros e entregá-la”, disse hoje à Lusa Henrique Trigueiros Cunha, fundador e porta-voz do movimento. Criado há cerca de três anos, o movimento, que visa o reaproveitamento dos manuais escolares, conta já com 177 bancos de recolha e partilha gratuita de livros no continente e ilhas. De acordo com o protocolo, válido por um ano, os livros escolares doados nos CTT serão encaminhados para um dos bancos que exista na proximidade do local de entrega.
“O objetivo deste protocolo é, também, o de conseguir expandir a rede de bancos”, disse Henrique Trigueiros Cunha, realçando que este movimento de cidadãos tem como único objetivo tornar a reutilização de manuais escolares uma prática universal no país. “A campanha de angariação de livros, que agora se inicia, coincide com a aproximação do fim do corrente ano letivo, pelo que se prevê que a solidariedade e a consciência cívica dos portugueses resultem numa recolha significativa de manuais escolares”, sustentou o porta-voz. Em julho de 2012, Henrique Trigueiros Cunha referiu à Lusa que se o Governo avançasse com a regulamentação do empréstimo de livros escolares poderia poupar “105 milhões de euros em três anos”. “Como é que num país falido o Estado continua a gastar milhões de euros por ano com a compra de livros escolares para famílias que recebem apoios da ação social”, questionou na ocasião, lembrando que a realidade portuguesa “é única na Europa, porque em todos os outros países, a começar pela Noruega, há um sistema formal ou informal que promove a troca de manuais”. Questionado hoje sobre o número de livros que o Reutilizar.org já terá movimentado desde a sua criação, Henrique Trigueiros Cunha não conseguiu contabilizar e apenas indicou que, em 2013, “só através do banco da avenida da Boavista – que foi o primeiro a abrir – foram entregues ao Banco Alimentar perto de 20 toneladas de livros”. “Pelas minhas contas, em que três livros pesam cerca de um quilo, foram entregues cerca de 60 mil livros” no ano passado, só através daquele banco, vincou.
O Reutilizar.org, que aceita manuais do 1.º ao 12.º ano de escolaridade, encaminha todos aqueles livros que já não são reutilizáveis, ou por estarem degradados ou por serem já antigos e assim desadequados, para o Banco Alimentar.

PUBLICIDADE

PUB
Prémio Literatura Infantil Pingo Doce