PUB
Sogrape - Mateus Rosé

Renda mediana desce 4,3% na Área Metropolitana do Porto

Renda mediana desce 4,3% na Área Metropolitana do Porto

Dados provisórios do Instituto Nacional de Estatística (INE) revelam que a renda mediana na Área Metropolitana do Porto (AMP) desceu no 1º trimestre do ano, face ao mesmo período do ano passado. Assim, a AMP registou uma descida de 4,3%.

De acordo com estes dados, publicados pelo INE, esta terça-feira, no primeiro trimestre, “a renda mediana dos 24.300 novos contratos de arrendamento de alojamentos familiares em Portugal atingiu 6,74 euros por metro quadrado”.

“Este valor representa um aumento de 9,4% face ao período homólogo de 2022, embora seja inferior à variação homóloga registada no quarto trimestre de 2022 (+10,6%)”, refere o instituto estatístico, que afirma que face aos últimos três meses de 2022 a renda mediana diminuiu 2,5%, cita a Lusa, segundo o Porto Canal.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

O número de novos contratos de arrendamento de habitação diminuiu 1,7% no primeiro trimestre, em termos homólogos, para 24.300.

A renda mediana ficou acima da média nacional nas sub-regiões da Área Metropolitana de Lisboa (10,26 euros por metro quadrado), Algarve (7,81 euros por metro quadrado), Região Autónoma da Madeira (7,73 euros por metro quadrado) e Área Metropolitana do Porto (7,29 euros por metro quadrado).

“No trimestre em análise observou-se um aumento homólogo da renda mediana em todos os 24 municípios com mais de 100.000 habitantes, com destaque para os municípios do Porto (+22,1%), Lisboa (+20,6%) e Barcelos (+20,4%)”, avança ainda a Lusa, de acordo com o órgão de comunicação referido.

PUBLICIDADE

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/uma-pascoa-saborosa-com-a-sabe-bem/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=0324-sabebem78&utm_campaign=sabebem