PUB
CIN Woodtec

Queima das Fitas regressa ao Porto em maio

Queima das Fitas regressa ao Porto em maio

Suspensa, nos últimos dois anos, devido à situação pandémica, a Queima das Fitas do Porto vai voltar às ruas da cidade este ano. O regresso acontece entre os dias 1 e 7 de maior, devolvendo, assim, “a todos os estudantes e antigos estudantes da Academia do Porto a sua maior festa”, avançou a Federação Académica do Porto (FAP).

Num comunicado, divulgado na sua página oficial, a entidade destaca que o Porto “voltará a abraçar o que é seu”. “Os seus estudantes estarão nas ruas, no Queimódromo e nas mais bonitas salas de espetáculos da cidade, para fazer o Porto lembrar-se daquilo que nunca se esqueceu. De 1 a 7 de maio, a Queima das Fitas do Porto está de volta!”, lê-se.

Em declarações à Agência Lusa, a presidente da Federação, Ana Gabriela Cabilha, afirmou que, este ano, “a Queima das Fitas do Porto é para todos. Para os que estão e para os que não tiveram oportunidade de estar”, anunciando, “com grande emoção”, o regresso de tão emblemático evento.

“Adiamos instantes na certeza de que o que regressa, regressa mais forte. É tempo de voltarmos a ser um. De deixarmos a saudade e celebrarmos os abraços, a tradição, os amigos e a Academia do Porto”, referiu ainda.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

De forma a assegurar “todas as condições do evento”, a FAP revelou que está a trabalhar em conjunto com a Câmara Municipal do Porto e outras autoridades, nomeadamente no que toca à adaptação do espaço do recinto das noites da Queima e do percurso do Cortejo Académico do Porto.

“A reformulação do recinto das noites da Queima pretende ser mais do que uma alteração de disposição, com uma profunda vontade de aumentar as condições de segurança e o conforto de todos os espectadores, capaz de dar resposta a novos paradigmas, disponibilizando novas ofertas diferenciadas”.

A preocupação com o ambiente, a segurança de todos os que fazem parte da Queima das Fitas do Porto e a promoção cultural são “áreas estratégicas assumidas pela FAP”, assim como a organização de uma Queima das Fitas do Porto que conta com cerca de 400 de voluntários.

Recorde-se que este é o evento “mais querido” dos estudantes da Academia do Porto, que, segundo a FAP, simboliza um “marco anual da vida académica dos estudantes e da cidade Invicta que os acolhe”.

PUBLICIDADE

PUB
PD- Revista Sabe bem