Sogrape

Procura de detetives dispara devido ao adultério, revela estudo

Procura de detetives dispara devido ao adultério, revela estudo

Um estudo promovido pela Fixando acaba de revelar que existem cada vez mais portugueses a recorrer à contratação de detetives privados para investigar suspeitas de adultério e traição.

“Em 2021, a procura por detetives privados já crescera 22%, face a 2020, e em janeiro deste ano assinalou um crescimento de 136%, face ao período homólogo”, lê-se no comunicado divulgado pela empresa, que adianta ainda que, até ao final do ano, se prevê um crescimento na ordem dos 135%.

O Grande Porto é, de acordo com os dados divulgados, a segunda região onde os pedidos mais cresceram. A lista é liderada por Faro, com 95% das solicitações a detetives privados, seguindo-se Lisboa (20%), Aveiro (10%) e Braga (9%).

Segundo explica a Fixando, o adultério foi o principal motivo (62%) que levou homens e mulheres a contratar especialistas em investigação privada. Posteriormente, seguiram-se pedidos de vigilância (13%), procura de ativos ocultos (6%), verificação de antecedentes (5%) e a custódia de crianças (4%).

As atividades mais requisitadas por quem recorreu a serviços de investigação privada foram a investigação detalhada (42%) e a localização (19%) de pessoas e a monitorização de atividade num local fixo (11%), completa a análise.

PUB
www.pingodoce.pt/campanhas/sabor-do-mes/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=carne&utm_campaign=sabordomes