PUB
Recheio 2024 Institucional

Preço dos combustíveis deverá continuar a subir

Preço dos combustíveis deverá continuar a subir
Em declarações ao Expresso, Fabian Zukeeg, economista chefe do Centro de Política Europeia, explicou contudo que “a relação entre o preço do crude e a escalada de preços não é uma linha reta”. De acordo com o especialista, o preço do crude varia consoante diversos fatores, como a oferta e a procura, a disponibilidade de substitutos, os custos da tecnologia de extração e as decisões políticas.
Os preços praticados nas bombas de abastecimento também estão dependentes de vários fatores. “Os impostos desempenham o papel principal, mas existem também todos os custos associados desde a extração do crude até ao consumo”, referiu o economista.
Para o presidente da Associação Nacional de Revendedores de Combustíveis (ANAREC), os preços deverão continuar a subir. “Os preços estão demasiado altos. Naturalmente que esperamos que, tal como tem vindo a acontecer, os preços acompanhem a tendência do crude nos mercados internacionais”, afirmou Virgílio Constantino ao Expresso.

Preço dos combustíveis deverá continuar a subir

 

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

Só na segunda-feira o preço dos combustíveis aumentou dois cêntimos por litro e os cenários apontam para que os valores continuem a subir.

Num ano, o gasóleo passou de 1,398 euros para 1,468, a gasolina 95 aumentou de 1,545 para 1,664 e a gasolina 98 passou de 1,609 para 1,744. Desde 2004 os combustíveis já aumentaram mais de 75%, refletindo o preço do crude nos mercados internacionais. Em declarações ao Expresso, Fabian Zukeeg, economista chefe do Centro de Política Europeia, explicou contudo que “a relação entre o preço do crude e a escalada de preços não é uma linha reta”. De acordo com o especialista, o preço do crude varia consoante diversos fatores, como a oferta e a procura, a disponibilidade de substitutos, os custos da tecnologia de extração e as decisões políticas.

Os preços praticados nas bombas de abastecimento também estão dependentes de vários fatores. “Os impostos desempenham o papel principal, mas existem também todos os custos associados desde a extração do crude até ao consumo”, referiu o economista.

Para o presidente da Associação Nacional de Revendedores de Combustíveis (ANAREC), os preços deverão continuar a subir. “Os preços estão demasiado altos. Naturalmente que esperamos que, tal como tem vindo a acontecer, os preços acompanhem a tendência do crude nos mercados internacionais”, afirmou Virgílio Constantino ao Expresso.

PUBLICIDADE

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/novo-ano-nova-sabe-bem/?utm_source=vivaporto&utm_medium=cpc&utm_campaign=sabebem&utm_term=leaderboardmobile