CMPorto

Portugal avança “com cautela” no levantamento das restrições

Portugal avança “com cautela” no levantamento das restrições

Um dia depois da reunião do Infarmed, o primeiro-ministro, António Costa, revelou aos portugueses que o país pode “avançar [no levantamento de restrições]” já na próxima semana, mas “com cautela”.

Entre as principais medidas, destaca-se o facto de as crianças que tenham um contacto com um caso positivo de covid-19 nas escolas, que retomam “a normalidade do seu funcionamento” já a partir da próxima segunda-feira, não sejam obrigadas a ficar em isolamento. Este acontece apenas se existirem “coabitantes na mesma turma”.

Desta forma, só são considerados contactos de alto risco as crianças que vivam na mesma casa que alguém com covid-19, pelo que ficam isoladas, já que não têm reforço da vacina, como havia avançado, no dia anterior, a Direção-Geral de Saúde.

Também a partir do próximo dia 10 de janeiro, apenas os casos positivos de covid-19 ou coabitantes necessitam de efetuar o isolamento.

Na comunicação realizada a partir do Palácio Nacional da Ajuda, António Costa revelou também que o Governo decidiu que “todas as pessoas que tenham a dose de reforço há mais de 14 dias deixam de ter de fazer teste para ter acesso a locais ou atividades” que continuam a exigi-lo.

O teletrabalho vai manter-se obrigatório até sexta-feira da próxima semana, dia 14 de janeiro, para os trabalhadores que possam assegurar as suas funções a partir desse regime, passando, a partir desta data, a ser recomendado.

Os bares e discotecas receberam, por sua vez, autorização para reabrir, mas somente com a apresentação de teste negativo.

Entre as medidas a manter na próxima semana, destaca-se a proibição de consumo de bebidas alcoólicas na via pública, a apresentação de certificado de vacinação para acesso a restaurantes, estabelecimentos turísticos, espetáculos culturais, eventos com lugares marcados e ginásios e a limitação de uma pessoa por cada cinco metros quadrados nos espaços comerciais.

As medidas foram anunciadas depois da reunião do Conselho de Ministros, tendo António Costa alertado também para a continuidade do aumento de número de casos de covid-19 nos próximos dias.

De referir que esta quinta-feira, Portugal voltou a registar perto de 40 mil novas infeções.

PUB
 www.pingodoce.pt/responsabilidade/bairro-feliz/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=votacao&utm_campaign=bairrofeliz