Revista Sabe Bem (Setembro/Outubro) - PD

Porto reconhecida pela transparência ambiental

Porto reconhecida pela transparência ambiental

A organização não-governamental CDP reconheceu a cidade do Porto como uma das 95 cidades em todo o mundo que está a assumir uma liderança ousada em ação e transparência ambiental.

A lista A do CDP, lista onde estão incluídas 26 cidades europeias, inclusive o Porto, regue-se por critérios específicos como: as cidades devem divulgar publicamente e possuir um inventário de emissões, ter definido um objetivo de redução de emissões e um objetivo de energias renováveis para o futuro e ter publicado um plano de ação climática; têm de realizar uma avaliação completa de riscos e vulnerabilidade climática e ter um plano de adaptação climática para demonstrar como irão lidar com perigos climáticos.

Desde 2016 que a cidade do Porto tem uma Estratégia Municipal de Adaptação às alterações (EMAAC) integrado no Plano de Diretor Municipal, que visa na preparação da cidade e dos cidadão para as alterações climáticas.

O Município tem vindo também, a proceder ao aumento da superfície permeável da cidade, reabilitação de linhas de água e duplicação dos espaços verdes, favorecendo o efeito de cidade-esponja, que está assim melhor preparada para lidar com efeitos de fenómenos meteorológicos extremos.

Na área da descarbonização, o Porto comprometeu-se com a meta de reduzir as emissões de carbono em 50% até 2030, mas o vice-presidente Filipe Araújo revelou em Assembleia Municipal que está a preparar uma proposta mais ambiciosa para levar a reunião de Executivo, ainda em 2021. Em 2019, o Porto havia já reduzido as emissões de gases com efeito de estufa em 46% em relação ao ano base (2004).

Para além do Porto, Braga é a única outra cidade portuguesa incluída na lista A pelo CDP.

PUB
www.pingodoce.pt/campanhas/sabor-do-mes/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=092022-carnepicadaangus&utm_campaign=sabordomes