PUB
Santander Saúde

Porto destaca-se entre as cidades mais amigáveis para a comunidade LGBTQ

Porto destaca-se entre as cidades mais amigáveis para a comunidade LGBTQ

Um ranking criado pela Holidu, motor de pesquisa para casas de férias, elegeu as 10 cidades mais amigáveis para LGBTQ. Em nota de imprensa, a plataforma revela que para a recolha de dados, foram consideradas as cidades mais populosas bem como as mais relevantes para o cenário LGBTQ na Europa.

O Porto destaca-se entre as cidades portuguesas, ocupando a trigésima quarta posição da classificação, com mais de 35 bares gay. “Vibrante, histórica e misteriosa”, a cidade do Porto está a tornar-se “rapidamente num dos destinos turísticos gays mais populares na Europa”, através também da realização de diversos eventos como “a Marcha do Orgulho LGBTI+ do Porto (MOP), o Festival Internacional de Cinema Queer do Porto e o LGBT+ Music Festival 2022 Porto”.

Lisboa também integra esta lista, ocupando na décima sexta posição com mais de 65 bares gay. Já em primeiro lugar encontra-se a capital do Reino Unido, Londres, tornando-se a cidade mais amiga do LGBTQ na Europa.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

“Na categoria de hashtags Instagram, bem como “LGBTQ-friendly bars”, Londres alcançou a pontuação máxima de 10 e em termos de igualdade, o Reino Unido já está muito avançado numa comparação a nível europeu com uma pontuação de 8,2”, refere o documento. A 2 de julho, realizar-se-á o grande desfile “Pride”, que celebra este ano o seu 50.º aniversário, no Reino Unido.

Para esta classificação, “foram examinados os pontos de dados «LGBTQ-Equaldex», «Número de bares LGBTQ amigáveis», «Instagram Hashtags», «Preço do Alojamento» e «Acessibilidade das Cidades».  A recolha de dados teve lugar entre os meses de abril e maio de 2022.

Referir que o Pride Month acontece novamente em junho, “quando pessoas de todas as nações celebram o cenário LGBTQ com orgulho”. A sigla LGBTQIA, com a adição de outras letras, vem do inglês e significa “Lesbian, Gay, Bisexual, Transgender, Queer, Intersex e Asexual”. O termo surgiu originalmente de um movimento coletivo para combater a discriminação contra a orientação sexual e a identidade de género, que continua a acontecer em muitos países até aos dias de hoje.

PUBLICIDADE

PUB
PD-Bairro Feliz