Philips

Porto debate continuidade ao apoio do Projeto de Mediadores Municipais e Interculturais

Porto debate continuidade ao apoio do Projeto de Mediadores Municipais e Interculturais

A Câmara do Porto leva a discussão na próxima reunião de Executivo, agendada para dia 4 de abril, a continuidade do apoio ao Projeto de Mediadores Municipais e Interculturais. O apoio em causa ascende aos 100 mil euros e deverá ser repartido a quatro entidades: Espaço T – Associação para Apoio à Integração Social e Comunitária; a Associação de Solidariedade e Ação Social de Ramalde; a Associação Ludotecas do Porto; e o JRS Portugal – Serviço Jesuíta aos Refugiados.

A proposta assinada pelo vereador da Coesão Social, Fernando Paulo, prevê a distribuição a verba “em três parcelas de 28 mil euros, a transferir para a Associação de Solidariedade e Ação Social de Ramalde, para o Espaço T – Associação para Apoio à Integração Social e Comunitária, e para o JRS Portugal – Serviço Jesuíta aos Refugiados”.

Os restantes 16 mil euros serão divididos pela Associação Ludotecas do Porto (10 mil euros) e pela autarquia (6 mil euros), “para atividades a implementar”.

O projeto “procura a integração das comunidades ciganas e migrantes – populações vulneráveis da cidade do Porto – recorrendo à mediação intercultural como metodologia capaz de “dotar de poder” aqueles que, por circunstâncias socioeconómicas e culturais, estão em situação de maior risco social. Pretende-se, ainda, a promoção das relações interculturais positivas entre estas comunidades e a população em geral”.

“A Coesão Social é uma prioridade estratégica do Município do Porto sendo, por isso, fundamental implementar um conjunto de políticas ativas promotoras da qualidade de vida dos cidadãos e da harmonia social dos territórios”, conclui Fernando Paulo.

PUB
www.pingodoce.pt/campanhas/sabor-do-mes/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=carne&utm_campaign=sabordomes