Sogrape

Porto cria centro para rastreio da doença covid-19

Porto cria centro para rastreio da doença covid-19

O primeiro centro de rastreio para a doença covid-19 em modelo “Drive Thru” montado em Portugal começará a funcionar quarta-feira, dia 18 de março, no Queimódromo, no Porto, apenas por marcação prévia junto das autoridades de saúde. Irá permitir a realização de cerca de 400 testes diários numa primeira fase, podendo passar posteriormente para perto de 700 testes por dia.

“No âmbito do esforço coletivo que Portugal está a fazer para combater a pandemia de CoVid-19, a Unilabs Portugal abordou a Câmara Municipal do Porto e a Administração de Saúde do Norte no sentido de saber do interesse da criação de um local dedicado à colheita de amostras para rastreio da doença, num modelo-piloto em Portugal”.

O objetivo é “testar doentes fora de meio hospitalar, em condições de conforto e segurança coletiva, e aliviar o afluxo de potenciais suspeitos portadores aos hospitais”, avançam, num comunicado conjunto, a Administração de Saúde do Norte (ARS-N), a Câmara do Porto e a Unilabs Portugal.

O espaço entrará em funcionamento quarta-feira. Numa primeira fase, poderão ser realizados cerca de 400 testes diários, podendo evoluir para perto de 700 testes por dia. O rastreio segue as recomendações e especificações para testes à covid-19, sendo coordenado pela ARS-N.

“Este modelo permite aos pacientes suspeitos de infeção e previamente referenciados pelo Serviço Nacional de Saúde deslocar-se até ao ponto de recolha, montado no Queimódromo, no Porto, sem entrar em contacto com outras pessoas, reduzindo o risco de infeção em cada colheita até para os profissionais envolvidos. Os resultados serão depois enviados diretamente ao suspeito e às autoridades de saúde pública”, explicam.

De salientar que o Centro de Rastreio Covid-19 do Porto apenas funcionará por marcação prévia junto das autoridades de saúde. As entradas e saídas serão controladas pela polícia.

“Pede-se a todos os cidadãos para se deslocarem ao local apenas se tiverem marcação para aquele local e apenas à hora que lhes for comunicada, por forma a não criar constrangimentos de tráfego ou aglomerados que podem pôr em causa o seu normal funcionamento e o atendimento atempado dos suspeitos ou doentes”, frisa o comunicado.

Este centro estará dotado com médicos de Medicina Geral e Familiar que aplicarão um inquérito epidemiológico e sintomático (RedCap) que avalia a necessidade de teste ou de outra orientação. “Só se deverão deslocar ao local pessoas previamente referenciadas, já que o sistema não permitirá a execução de testes ad hoc”, salientam.

“Esta medida insere-se num conjunto de iniciativas que o Porto tem vindo a tomar, que visam apoiar o esforço nacional de combate à pandemia, numa lógica de proteção e mitigação da doença. Este modelo, pioneiro em Portugal, pode ser replicado noutras cidades do país e ajudar a salvar vidas e, simultaneamente, a melhorar as condições de atendimento dos profissionais de saúde em contexto hospitalar”, refere Rui Moreira, presidente da Câmara do Porto.

“A ARS-Norte com esta iniciativa ajuda os hospitais a receberem apenas quem de facto precisa de ser apoiado medicamente, protegendo os pacientes, as unidades hospitalares e os médicos de serviços adicionais que podem ser prestados em regime de ambulatório”, diz Carlos Nunes, presidente do Conselho Diretivo da ARS-Norte.

“A Unilabs Portugal espera dar o seu contributo à região e ao país com o apoio à implementação deste centro de rastreio. Todos os esforços da nossa empresa e dos nossos profissionais estão focados neste momento em apoiar o SNS nesta luta, em coordenação com as autoridades de saúde locais e nacionais”, afirma Luis Menezes, CEO da Unilabs Portugal.

Serviço Municipal de Proteção Civil emite Aviso

O Serviço Municipal de Proteção Civil emitiu um Aviso face à situação epidemiológica do covid-19 provocada pela disseminação do novo coronavírus, com várias recomendações à população:

1) Lave frequente as mãos com água e sabão ou com soluções à base de álcool;
2) Cubra a boca e o nariz ao espirrar ou tossir;
3) Utilize um toalhete de uso único para conter as secreções respiratórias, o qual deve ser prontamente eliminado num contentor de resíduos próximo;
4) Em alternativa poderá tossir ou espirrar para o braço/manga evitando a dispersão de partículas, e a consequente contaminação das mãos;
5) Higienize as mãos após contacto com secreções respiratórias;
6) Evite tocar na cara com as mãos;
7) Evite contacto com pessoas com infeção respiratória;
8) Evite partilha de objetos de uso pessoal e comida;
9) Na presença de sintomas de tosse, febre ou dificuldade respiratória conjugado com regresso recente de áreas com transmissão comunitária ativa do COVID-19 ou contacto com um doente infetado, ligue para a Linha SNS 24 – 808 24 24 24;
10) Mantenha pelo menos 2 metros de distância em relação a outras pessoas, principalmente daquelas que apresentam sintomas de tosse ou febre;
11) Evite permanecer em todos os locais ou espaços públicos;
12) Privilegie os atendimentos não presenciais, recorrendo aos canais digitais ou telefónicos;
13) Mantenha-se em casa sempre que possível;
14) Esteja atento às informações da Direção Geral de Saúde e às indicações da Proteção Civil e das Forças de Segurança.

O conjunto de recomendações pode ser consultado no Aviso 07/2020.

Foto: Miguel Nogueira | CM Porto

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/diga-ola-ao-verao-com-a-sabe-bem/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=sabebem&utm_campaign=sabebem