PUB
Recheio 2024 Profissional

Porto celebrou os 80 anos do “Dia D” e a VIVA esteve presente

Porto celebrou os 80 anos do

Hoje é um dia marcante na história europeia: 6 de junho de 1944, o “Dia D”. Neste dia, uma frota das forças Aliadas lançou a maior operação anfíbia da História, desembarcando nas praias da Normandia, em França, durante a II Guerra Mundial. Esta ação marcou o início do fim do regime nazi e foi crucial para a restauração da liberdade na Europa.

Hoje celebram-se os 80 anos do “Dia D” e a VIVA! esteve nos Paços do Concelho para a cerimónia de inauguração da exposição “Dia D, Batalha pela Liberdade”, uma homenagem simples, mas carregada de significado histórico, aos dias de combate pela democracia.

Durante a inauguração da exposição, o presidente da Câmara, Rui Moreira, sublinhou a importância de lembrar o passado e reconhecer os sacrifícios necessários para garantir a liberdade “Não devemos esquecer o passado. Estas coisas servem para não nos esquecermos que a liberdade nunca é fácil de conseguir. Exige sacrifícios, combate, mas também que, nos momentos certos, as pessoas tomem as decisões certas”.

Também o Chefe de Estado-Maior da Armada, almirante Gouveia e Melo, citou Winston Churchill “A liberdade, muitas vezes, tem de ser conquistada com sangue, suor e lágrimas”.  Num mundo onde a democracia enfrenta desafios constantes, eventos como este são uma chamada à ação, um lembrete da necessidade contínua de lutar pela liberdade e pela paz, lembrou Rui Moreira.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

A exposição, fruto da colaboração entre o Coletivo Normandia e o Município do Porto, apresenta uma variedade de artefatos históricos, incluindo fotografias da batalha, jornais da época e outros objetos memoráveis. Baseada no livro de José Manuel Saraiva, a exposição oferece uma visão sucinta da preparação e execução da Operação Overlord, o Dia D.

A exposição destaca, também, o papel fundamental dos soldados que sacrificaram as suas vidas “É preciso não esquecer nunca aquilo que devemos aos milhares de jovens que vieram morrer nas praias da Normandia e nos campos da França para que fosse um país livre.

“Foram acolhidos como libertadores e não, apenas, como ganhadores”, disse João Soares, o responsável pelo Coletivo Normandia, coletivo esse composto também por José Manuel Saraiva (jornalista), Jorge Silva (designer), Manuela Rêgo (historiadora) e Adélio Gomes (empresário). É uma homenagem a esses heróis esquecidos, cujo legado de coragem e sacrifício continua a inspirar as gerações futuras.

A exposição “Dia D, Batalha pela Liberdade” estará em exibição nos Paços do Concelho até dia 7 de julho, com visitas gratuitas de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. É uma oportunidade imperdível para celebrar a história e refletir sobre os valores que tanto prezamos.

PUBLICIDADE

PUB
PD-Bairro Feliz