PUB
CMPorto

Portal vai esclarecer dúvidas de doentes oncológicos

O novo portal -“FalarSobreCancro.org” – foi desenvolvido por investigadores do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), da Universidade do Minho e do INESC TEC, em parceria com o  IPO-Porto, e tem por objetivo a troca de informações e experiências entre doentes oncológicos.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

De acordo com Rui Oliveira, administrador do INESC TEC e docente da Universidade do Minho que, com Nuno Martins, docente do IPCA, é responsável pelo desenvolvimento do projeto, esta plataforma web é pública, livre e gratuita e pretende ser “um meio privilegiado de interação da comunidade oncológica”, nomeadamente doentes, familiares, amigos, profissionais de saúde, investigadores e voluntários.
O novo portal tem vindo a ser apresentado a todos os doentes do Instituto Português de Oncologia do Porto e conta, de momento, com cerca de 400 membros registados que partilham conteúdos informativos através de artigos e comentários.
A plataforma “FalarSobreCancro.org” apresenta ainda o “Boletim Clínico”, gerido apenas pelo IPO-Porto e que integra conteúdos clínicos e científicos que só podem ser publicados por profissionais de saúde devidamente habilitados e cujo objetivo é exclusivamente informativo e educativo.
Para aceder à rede basta fazer um registo. O utilizador pode depois verificar todos os membros que fazem parte da comunidade, aceder à atividade de cada utilizador, interagir em grupos temáticos (medicinas alternativas, cancro da mama, entre outros) e ainda escolher quem pretendem ou não seguir.
“O cancro é a segunda maior causa de morte em Portugal e aquilo que assistimos, cada vez mais, é a um aproveitamento enorme da dor e do desespero do paciente por parte de terceiros, potenciado pela quantidade de ‘desinformação’ que a Internet muitas vezes nos fornece”, disse Rui Oliveira.
Com o “FalarSobreCancro.org”, “o que queremos é, por um lado, criar uma rede de contacto entre pessoas que enfrentam a mesma luta e dar acesso aos pacientes a profissionais de saúde que dissipem algumas dúvidas e esclareçam a veracidade de algumas matérias”, explicou o investigador.
O projeto nasceu no âmbito da tese de doutoramento de Nuno Martins que estudou o trabalho de comunicação de cidadãos e instituições na luta contra o cancro.

PUBLICIDADE

PUB
PD- Revista Sabe bem