PUB
PD-Bairro Feliz

“Pitadas de Ternura” assegura cuidados de excelência à população sénior

“Pitadas de Ternura” assegura cuidados de excelência à população sénior

Responder às solicitações colocadas pelos familiares, que necessitam de apoio, para assegurar os , cuidados do familiar sénior, e, de pós operatório em qualquer idade. Foi com base nestes dois princípios que, em 2016, nasceu a «Pitadas de Ternura», empresa sediada na Rua Faria Guimarães, no Porto, e com um serviço de assistência domiciliária, disponível 24 horas, 365 dias.

Consciente de que o cuidador informal, muitas vezes, não tem conhecimento nem disponibilidade para resolver situações diárias relacionadas com a prestação de cuidados seniores, a empresa reuniu uma equipa multidisciplinar de colaboradores, composta por auxiliares de geriatria e técnicos de enfermagem, que há 7 anos presta serviços de excelência à população.

À nossa reportagem, a diretora da «Pitadas de Ternura», Alexandra Sinde Monteiro explica que prestam apoio em qualquer necessidade que a família possa precisar: “O utente pode ser uma pessoa totalmente independente e aí estamos a fazer companhia ou prevenção da queda; ou pode ser dependente, muito dependente ou acamado, sendo que também prestamos apoio em cuidados paliativos e pós-operatórios”.

Os trabalhos contratados podem ser pontuais ou permanentes, “de uma hora ou até 24h de permanência, atendemos pedidos em qualquer horário e temos o e-mail e telemóvel sempre disponíveis”, assegura.

A média de idades dos utentes que estão aos cuidados da «Pitadas de Ternura» varia, mas a grande maioria tem entre 80 e 100 anos. “Se não nos referirmos aos AVC’s que podem atingir pessoas mais novas com 65/70/75 anos, os estados de saúde são habitualmente por idade, que se reflete no grau da dependência física, ou em estados cognitivos de demência, também existe o “idoso” e nesse caso temos pessoas até aos 100 anos”.

Serviços e ajudas técnicas

Os serviços prestados pela entidade podem apenas ser requisitados para garantir as “higienes diárias”, como incidir em diferentes situações de necessidades, nomeadamente apoios para utente com AVC, utente com alimentação por PEG ou sonda, utente ostomizado ou algaliado, utente com necessidade de vigilância para prevenção de queda, etc”, afirma Alexandra Sinde Monteiro.

A responsável adianta que dispõe também de um serviço complementar com carro adaptado a cadeira de rodas, “que permite levar os idosos a consultas e terapias a horários avulso ou horários firmes”.

Já em loja é possível encontrar todas as ajudas técnicas essenciais “para cuidar de um utente no domicílio, tais como: camas elétricas articuladas e cadeirões elétricos, cadeiras de banho em poliban e banheira, bem como os consumíveis, incontinência – fraldas, e banho – esponjas de banho e outros”.

Todos os produtos podem ser assegurados com entregas no domicílio, e montadas as ajudas técnicas fornecidas pela «Pitadas de Ternura».

Com o surgimento da pandemia de covid-19 o nível de higiene, cuidado e segurança tornou-se ainda maior. Nesse sentido, o vestuário e a máscara cirúrgica, continuam a ser o equipamento de segurança e apoio do serviço de apoio domiciliário (SAD), equipando-se sempre na habitação.

Relação entre utentes e cuidadores

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

A chegada de elementos exteriores à família e aceitar ajuda nem sempre é um processo fácil para o utente. Tendo esses fatores em mente a «Pitadas de Ternura» procura manter as rotinas de cada utente e adapta-las às diferentes necessidades do dia-a-dia.

“Se a pessoa gosta de tomar o pequeno-almoço às 11h não vai tomar às 9h, temos apenas de ter o cuidado de administrar a medição nas horas certas e adaptar uma rotina que não mude os hábitos, mas incorpore a correta e necessária metodologia desde o acordar ao deitar. Não mudamos a forma de vestir, hora de se levantar e se quiser tomar o pequeno-almoço na cama, faz isso mesmo”, sustenta a diretora.

O sistema implementado de não rotação de equipas em cada domicílio contribui também para a criação de empatia entre os utentes e cuidadores, levando até que estes, muitas vezes, se mostrem reticentes a realizar serviços noutras casas. “As nossas colaboradoras passam a ter uma casa própria, aquele é o seu domicilio”, refere.

Equipas multidisciplinares

No total, a «Pitadas de Ternura» conta já com uma média de 50 prestadores de serviços, em apoio permanente, que engloba uma diversidade de equipas multidisciplinares. A estas valências, acresce ainda o facto de disponibilizar de serviços de saúde, em parceria com a Clínica Médica da Foz, que permitem dispor de médico e serviço de enfermagem 24 horas, à chamada. Tudo isto, segundo indica, transmite uma sensação de segurança acrescida às famílias que solicitam os Serviços de Apoio Domiciliário (SAD).

No processo de um novo pedido de colaboração Alexandra Sinde Monteiro faz questão de levar a equipa “a casa da família para que o utente e família conheçam os profissionais e haja empatia. As colaboradoras têm sempre um coaching comportamental e depois não saímos das casas até o serviço terminar, seja porque acontece um óbito ou porque a família opta por outra solução, que é, habitualmente, colocar o utente numa residência sénior – outra resposta de apoio”.

“Caso não exista empatia de alguma das partes o elemento da equipa é automaticamente substituído para que fique tudo equilibrado e haja novamente uma boa relação entre todos os intervenientes”, esclarece.

Disponibilidade e área geográfica abrangida

Os horários realizados na habitação dos utentes variam “em função das necessidades”, do “estado físico” e “condições psíquicas do utente”. A procura por serviços de fim de semana, para descanso das famílias ou cuidadores informais, tem vindo a crescer ao longo dos últimos anos, assim como os pedidos para “fazer noites, na prevenção da queda ou a companhia da solidão”.

As férias de Natal, passagem de ano, Páscoa ou Carnaval são também épocas em que a prestação de cuidados por parte da «Pitadas de Ternura» é mais requisitada. “Nestas alturas cresce o tipo de procura pontual ou existe um reforço nas casas onde já estamos”, sendo que também nas férias de verão os profissionais acompanham os utentes, durante o tempo necessário, para diferentes destinos como “Vila do Conde ou Algarve, por exemplo”.

A área de atuação da entidade estende-se ao Grande Porto, concentrando-se a maior procura no centro da Invicta, Gaia e Maia. Contudo, a responsável revela que já prestaram serviços noutros municípios, entre os quais, Penafiel, Paredes, Lousada, Guimarães, Braga e Póvoa de Varzim.

PUBLICIDADE

PUB
PD- Revista Sabe bem