PUB
Prémio Literatura Infantil Pingo Doce

PCP diz que EMEF tem protocolo de manutenção com Metro do Porto até 2056

PCP diz que EMEF tem protocolo de manutenção com Metro do Porto até 2056
O PCP do Porto afirmou hoje que o protocolo em vigor atribui à EMEF “o direito e exclusividade da manutenção da Metro do Porto até 2056”.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

“O Governo pretende rasgar este compromisso e tirar à EMEF a possibilidade de manter a manutenção ferroviária. O que está em causa é diminuir a qualidade do serviço e colocar em causa a segurança das pessoas”, assinalou Jaime Toga da Direção da Organização Regional do Porto (DORP) do PCP, no final da reunião de hoje com representantes dos trabalhadores da Empresa de Manutenção de Equipamentos Ferroviários (EMEF) .

Segundo este responsável, o protocolo dá à empresa “o direito e exclusividade da manutenção da Metro do Porto até 2056”, o que implica “responsabilidade do investimento que faz” e “uma expetativa que existe e que não pode sair frustrada”. “O que está em causa é um processo que visa a diminuição da qualidade da manutenção e o seu embaratecimento, com consequências ao nível dos trabalhadores que usarão as composições e ao nível dos passageiros”, afirmou.
Jaime Toga demonstrou “grande preocupação com o futuro da manutenção ferroviária e das instalações da EMEF em Guifões”.
O responsável afirmou também estar em causa um “processo de ataque” a uma empresa pública “que não causa prejuízo ao Estado” e que dá garantias de segurança pelo que se tem provado com a experiência da Metro do Porto.
Apesar de não lhe parecer o melhor caminho, Jaime Toga não exclui o recurso à justiça para resolver a questão.
A EMEF faz a manutenção e a reparação da frota da Metro do Porto, nas oficinas de Guifões, em Matosinhos. No entanto, este ano, o Governo não garante à empresa a manutenção dos comboios.
A 29 de julho, Sérgio Monteiro, secretário de Estado dos Transportes, afirmou que a EMEF “pode e deve” apresentar uma proposta ao concurso de manutenção de material circulante do Metro do Porto, até agora sempre atribuída à empresa pública.
O processo de concurso público internacional para a manutenção do material circulante do Metro do Porto deverá estar concluído até dezembro, começando o vencedor a operar no início de 2015.
Os funcionários e os sindicatos alertaram que o Governo quer entregar as instalações à da EMEF à REFER e receiam que isso implique a redução de postos de trabalho.
PUBLICIDADE

PUB
Prémio Literatura Infantil Pingo Doce