PUB
Recheio 2024 Institucional

Ópera cómica estreia no Porto

Ópera cómica estreia no Porto

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR
O Teatro do Campo Alegre, no Porto, vai estrear, a 2 de abril, a ópera “Os dilemas dietéticos de uma matrioska do meio”, iniciando depois uma digressão, a decorrer até final do ano, entre Portugal e Brasil.

De acordo com o compositor Nuno Côrte-Real, a ópera, a quarta na sua carreira, foi encomendada pelo Quarteto Contratempus.
“Aceitei, porque me sinto muito bem na ópera. É um género musical de que me sinto muito próximo, ao juntar cena, palavras, ritmo dramático e cénico, e que me faz puxar pela imaginação e ir por caminhos que não iria”, explicou o compositor à agência Lusa.
“Os dilemas dietéticos de uma matrioska do meio” é considerada uma ópera “buffa” – uma ópera cómica, “que divertisse as pessoas e as fizesse rir”, como foi pedido pelo Quarteto Contratempus.
Segundo Nuno Corte-Real, na música “é mais difícil fazer comédia do que tragédia”, dado o seu lado mais imediato e preciso, mas, ainda assim, encarou o projeto como “um novo desafio”.
A ópera, que tem uma duração de 80 minutos, junta em palco dois cantores e três instrumentistas. “É uma ópera versátil e fácil de apresentar, por isso tem uma maior possibilidade de itinerância”.
Assim, a produção vai iniciar no Porto uma digressão, a decorrer até ao final do ano, que vai passar, para já, por Esposende, Leiria, Ponte de Lima, Faro, Viana do Castelo, Matosinhos, Montemor-o-Novo e Viseu. A nível internacional, a digressão inclui o Brasil, com atuações nas cidades de São Paulo (27 e 28 de abril) e Rio de janeiro (05 de maio).
Com libreto de Mário João Alves, cantor e escritor, e encenação de António Durães, a ópera conta a história da vida social de uma família de matrioskas, que, em 1866, vai viver para São Petersburgo. A filha do meio, Ludmila, num encontro casual, conhece Raskolnikov, protagonista do romance “Crime e Castigo”, de Dostoievsky, pelo qual se apaixona, mas, devido a perturbações alimentares, é salva de um grande desgosto pelo nutricionista do czar, Dr. Musa Ramelov.
“A personagem de Dostoievsky traz um sentimento de arrependimento do ‘Crime e Castigo’, introduzindo um contraste dramático, na atmosfera cómica”, concluiu Nuno Côrte-Real.
Do elenco, faz parte Teresa Nunes (soprano), Crispim Luz (clarinete), Susana Lima (violoncelo) e Brenda Vidal Hermida (piano), músicos fundadores do Quarteto Contratempus, criado no contexto académico da Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo, do Porto, aos quais se junta agora o barítono Job Tomé.
“Os dilemas dietéticos de uma matrioska do meio” é apresentada no sábado, 2 de abril, às 21h30, e no domingo, 3 de abril, às 17h30.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

PUB
PD- Literarura Infantil