PUB
Junta da Galiza

Obras de Nadir Afonso em exposição na U.Porto

Obras de Nadir Afonso em exposição na U.Porto

 “100 Anos Nadir, Inéditos”, assim se intitula a exposição que assinala o arranque da homenagem da Universidade do Porto ao pintor Nadir Afonso (1920-2013).

A mostra apresenta, até 23 de dezembro, na Reitoria da U.Porto, mais de cem trabalhos inéditos, nunca antes expostos ao público, de Nadir Afonso, um dos grandes artistas portugueses do século XX e um dos mais ilustres antigos estudantes da instituição.

Esta exposição “constitui uma viagem por um repertório estético e teórico que fez inventar a arte moderna portuguesa da segunda metade do século XX, bem como a vanguarda europeia e francesa do pós-guerra”, assinala a U.Porto.

“100 Anos Nadir, Inéditos” tem como foco a “Máquina Cinética” (única obra não inédita), promovendo uma reflexão em torno de pinturas, guaches e estudos mostrados ao mundo pela primeira vez, num diálogo constante entre o pensamento e a obra, desde a formação até ao final da carreira artística, refere o curador da exposição, António Quadros Ferreira.

“São mais de cem trabalhos que demonstram a evolução do traço no sentido da abstração onde a ‘Máquina Cinética’, motor que reinventa a geometria na instalação da pintura, funciona como âncora seminal de toda a narrativa nadiriana”, salienta o portal da instituição portuense.

Ao longo da sua carreira, Nadir Afonso produziu cerca de 15 mil obras, expostas em museus espalhados pelo mundo.

“Esta exposição vem também celebrar a Escola do Porto como lugar de pertença de Nadir Afonso que regressa assim à cidade onde se formou, permitindo compreender o papel fundamental da Escola na cultura da cidade, do país e internacionalmente”, salienta a U.Porto, que em 2012, atribuiu ao seu antigo estudante o título de Doutor Honoris Causa.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR
DR

Natural de Chaves, e depois de se ter formado em Arquitetura na Escola de Belas Artes do Porto, Nadir Afonso partiu para Paris, onde trabalhou com Le Corbusier e Oscar Niemeyer. Foi também na capital francesa que estudou pintura. Nadir Afonso foi um dos pioneiros da arte cinética, uma corrente que explora efeitos visuais através de movimentos físicos ou de “truques” no posicionamento das peças, trabalhando ao lado de Victor Vasarely, Fernand Léger, August Herbin e André Bloc.

Para Fátima Vieira, vice-reitora da Universidade do Porto com o pelouro da Cultura “100 Anos Nadir, Inéditos” é “um presente à academia e à cidade: uma cronologia de inéditos que ajuda a compreender a evolução da obra de Nadir Afonso e evidencia a importância da sua formação no Porto, em Belas Artes, onde integrou o grupo vanguardista dos Independentes”.

Além da exposição, as comemorações do centenário do nascimento de Nadir Afonso incluem também o lançamento de uma coleção de livros, intitulada “Arte e Pensamento”. O 1.º volume é composto de textos originalmente escritos em francês e, pela primeira vez, traduzidos para português. Em simultâneo, a U.Porto Press lança também “Nadir, Mestre de Si Mesmo”, de António Quadros Ferreira.

Realizado em parceria com a Fundação Nadir Afonso, o programa comemorativo vai contemplar ainda diversas atividades presenciais e online como palestras, cinema, visitas guiadas, oficinas para famílias bem como a atribuição de um prémio no valor de 1.000 euros. O “Prémio Fundação Nadir Afonso/Universidade do Porto” vai distinguir trabalhos de criação multimédia que tenham como origem uma obra plástica de Nadir Afonso.

De referir que a exposição “100 Anos Nadir, Inéditos” pode ser visitada, gratuitamente, na Reitoria da Universidade do Porto até 23 de dezembro, de segunda a sexta, das 10h às 13h e das 14h30 às 17h30 e aos sábados das 15h às 18h. As visitas guiadas deverão ser agendadas através do e-mail [email protected].

Foto de entrada: Universidade do Porto

PUBLICIDADE

PUB
Prémio Literatura Infantil Pingo Doce