PUB
Pingo Doce- Revista Sabe Bem

Obras da fase C do Hospital de Gaia deverão ter início em 2022

Obras da fase C do Hospital de Gaia deverão ter início em 2022

O concurso para as obras da fase C, no valor de 60 milhões de euros, do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho (CHVNG/E) deverá ser lançado no segundo semestre de 2020.

“Este investimento, cujo lançamento do concurso se prevê no segundo semestre de 2020 e que possa estar terminado no final de 2022, está na fase de elaboração de projeto”, refere uma nota do Ministério da Saúde enviada à agência Lusa, citada pelo Porto Canal.

A fase C de obras no CHVNG/E “deverá ter início em 2022” e “permitirá, antes de mais, garantir a integridade do edificado das fases A e B”.

“Referir que a opção por uma construção faseada determina a necessidade de continuidade da obra, sem qualquer interrupção, sob pena de degradação do edificado construído e de graves impactos para a atividade assistencial do hospital”, explicou à Lusa o gabinete da ministra Marta Temido.

Na fase C “será possível integrar os serviços da Unidade 02 na Unidade 01, concentrar os serviços de internamento num único núcleo central, sem qualquer dependência de transportes para o doente internado, bem como aumentar a capacidade instalada do bloco operatório e garantir condições de dignidade, segurança e conforto do doente internado”, acrescentou a tutela.

O Plano de Reabilitação Integrado, no valor total de cerca de 86 milhões de euros, que o CHVNG/E tem em curso tem previstas três fases, com os principais objetivos de “centralizar serviços, organizar o Hospital Eduardo Santos Silva de modo a possibilitar a ligação entre os três pavilhões principais e qualificar e redimensionar alguns serviços, nomeadamente o Serviço de Urgência”.

A fase A, no valor de aproximadamente 13 milhões de euros, está concluída e consubstancia-se na construção de um novo edifício hospitalar, incluindo a sua ligação aos pavilhões, acabamento parcial do serviço de radiologia e aquisição de alguns equipamentos, indicou o Ministério da Saúde.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

Com um investimento estimado de 13 milhões de euros, dos quais cerca de seis milhões são fruto de financiamento comunitário, a fase B deverá estar concluída ainda no primeiro semestre de 2020.

“Nesta fase está prevista a construção do serviço de urgência, construção de uma unidade de internamento, com 30 camas, e a conclusão do serviço de radiologia”, descreve o Ministério da Saúde.

Segundo relembra o Porto Canal, a 10 de janeiro, no parlamento, a ministra da Sáude, Marta Temido, referiu que “o terceiro vértice da ação governativa é o investimento na rede Serviço Nacional de Saúde [SNS]”, tendo dado exemplos de investimentos futuros, entre os quais o do CHVNG/E.

“Incluem-se aqui decisões de investimento já tomadas, como a construção dos hospitais de proximidade de Sintra e do Seixal ou o novo hospital central do Alentejo, mas também os investimentos já autorizados pelo programa de investimentos na área da saúde, aprovado em 2019. E incluir-se-ão ainda aqui os investimentos previstos no plano de melhoria da resposta do SNS que significam cerca de 190 milhões de euros adicionais para novas prioridades, como a fase C do hospital de Gaia ou a maternidade de Coimbra”, disse a ministra.

Para o presidente da Câmara de Vila Nova de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, “esta é uma absoluta prioridade” para este Município, sublinhando que este é um hospital “de grande relevância para a cidade e para a região”.

“As afirmações da ministra da Saúde vão no sentido da prioridade afirmada pelo Município e pelo Governo, assumindo a obra de requalificação integral do hospital de Gaia. Esta é uma absoluta prioridade para o Município de Gaia, pelo que não escondemos a nossa alegria”, referiu à Lusa o autarca.

PUBLICIDADE

PUB
PD-Bairro Feliz