PUB
Philips S9000

Norte Conjuntura: ‘lay-off’ travou subida de desemprego na região

Norte Conjuntura: ‘lay-off’ travou subida de desemprego na região

Entre o terceiro e quarto trimestres de 2020, a taxa de desemprego na região Norte diminuiu de 7,9% para 7,0%, situando-se num valor inferior ao nacional (7,1%). Se não tivessem sido adotadas medidas de proteção ao emprego, como o ‘lay-off’, a taxa de desemprego da região seria de 25%.

De acordo com o relatório trimestral Norte Conjuntura, elaborado pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), “esta redução ocorreu num quadro de elevada proteção do emprego, com cerca de 328 mil trabalhadores do Norte em lay-off. Na ausência destas medidas de apoio a taxa de desemprego da Região seria de 25%”.

Apesar do prolongamento das medidas de apoio em 2021, “o novo estado de emergência provocou um agravamento da situação económica, com o número de desempregados registados do Norte a aumentar em cerca de 9.600 indivíduos (+6,4 por cento) em fevereiro de 2021 face ao último mês de 2020”, revela ainda o relatório.

Segundo a CCDR-N, “os efeitos da situação que o país atravessa fizeram-se sentir no emprego da população jovem da Região (dos 15 aos 24 anos), que observou uma redução significativa de 15,4 por cento no 4º trimestre de 2020 face ao período homólogo de 2019. Em contrapartida, o emprego na população mais adulta (45 aos 64 anos) teve um aumento de 4,3 por cento”.

Perante “menores obstáculos legais ao despedimento”, o emprego com contratos a prazo sofreu uma redução acentuada, em 19,1 por cento, “em evidente contraste com um aumento de 4,2 por cento no emprego com contratos a tempo indeterminado”.

Destaque ainda para o aumento do emprego nos indivíduos com o ensino superior no Norte, que registou uma subida de mais de 60 mil postos de trabalho no 4.º trimestre de 2020 face ao período homólogo do ano transato, “o maior crescimento de sempre num período de um ano”.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

Já o emprego nos trabalhadores com um nível de escolaridade inferior ao do ensino superior baixou em cerca de 32 mil. “Esta dicotomia deriva, em parte, da transformação digital em curso na Região”, salienta o relatório.

O Norte Conjuntura assinala ainda que as exportações de bens agravaram-se em janeiro, depois do “bom desempenho” no quarto trimestre.

“Devido às novas medidas de confinamento à escala nacional e internacional, as exportações de bens do Norte baixaram em 12,4 por cento em janeiro de 2021 face ao mesmo mês do ano transato, agravando a ligeira redução (-2,6 por cento) que tinha sido observada no 4.º trimestre de 2020 face ao período homólogo de 2019”, refere.

O relatório trimestral que apresenta as tendências da evolução económica na Região Norte, no curto prazo, está disponível aqui.

Foto: CCDR-N (Arquivo)

PUBLICIDADE

PUB
PD- Revista Sabe bem