PUB
Recheio 2024 Institucional

Neu/Now Festival

Neu/Now Festival
Assim, numa altura em que os jovens portugueses lamentam a falta de apoios no arranque das suas carreiras profissionais, o Porto receberá 32 projetos, provenientes de 18 países, que vão estar em exibição em cinco espaços emblemáticos da cidade: Cinema Passos Manuel, Casa da Música, Galeria do Palácio de Cristal, Mosteiro São Bento da Vitória e Teatro Carlos Alberto.

A dinâmica lusa estará representada pelos trabalhos de jovens talentos da ESMAE (Escola Superior de Música e das Artes do Espetáculo), integrada no Instituto Politécnico do Porto, que se destacam nas áreas do Design e Cinema. A obedecer às atuais exigências tecnológicas, o NEU/NOW também vai ser um festival online, uma vez que, através do sítio www.neunow.com, será possível ter acesso aos projetos dos artistas.

neu3“Mostruário internacional para talento criativo emergente”

O grande objetivo do evento é, de acordo com Carla Delfos, o de funcionar como um mostruário internacional para talento criativo emergente, cedendo aos artistas a possibilidade de se mostrarem na “arena das artes profissionais”. Apesar de ainda se encontrar em fase piloto, o festival que agora vai chegar ao Porto conquistou 4500 visitantes durante os quatro dias da edição anterior, sendo que o evento online registou 25 mil acessos.

Para a Diretora Executiva da ELIA, uma das características importantes do LIVE 2012 será a vertente formativa, já que mais de 100 professores de artes de todos os cantos do mundo se vão juntar para a realização de workshops e apresentações. A quarta edição do evento é parcialmente organizada no âmbito do NE©XT – New European Creative Talent, suportado pela Comissão Europeia e coordenado pela Universidade de Winchester.

neu4Indústrias Criativas como motor de desenvolvimento

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

Mas como é que se processa a escolha dos projetos artísticos apresentados no NEU/NOW? De acordo com a organização, os trabalhos apresentados no festival são submetidos a rigorosos critérios de seleção. Os artistas são nomeados pela própria instituição de formação como pessoas capazes de produzir trabalho da mais alta qualidade a nível nacional. Depois, cada nomeação é avaliada por um painel de juízes internacionais. Numa terceira fase, juntamente com os dois diretores artísticos do evento – Anthony Dean e Paula Crabtree – são confirmados os trabalhos integrados no festival online, escolhendo-se, neste conjunto de obras, os projetos individuais a serem apresentados no LIVE.

neu1A aposta nas indústrias criativas surge, aqui, como uma estratégia de crescimento económico. “Todas as áreas abrangidas pelo festival – artes visuais, design, artes performativas, cinema e música e som – fazem parte do setor das indústrias criativas. Num contexto que envolve medidas de austeridade e economias em recessão por toda a Europa, as indústrias criativas permanecem como uma das poucas áreas com um crescimento económico dinâmico e significativo”, defenderam os diretores artísticos da iniciativa. Os responsáveis explicaram ainda que, este ano, durante a avaliação das propostas, valorizaram não só a qualidade estética mas também a preocupação com temas como a sustentabilidade ambiental, as reformas sociais e a consciência política.

neu5Um dos projetos portugueses que integra o festival (na secção de Design) é da autoria de Hugo Edgar Mesquita, designando-se “Is there a Crisis!?”. A obra adota a perspetiva de uma personagem nihilista para explorar a crise financeira atual como mais uma de muitas crises financeiras, encarando a falência do sistema como o mais importante dos acontecimentos recorrentes na sociedade capitalista. Ainda da ESMAE, Bárbara Veiga apresentará o filme documental “Viagem até Casa”, trabalho filmado em 2010 no coração do Porto que revisita as localizações exatas do filme de 1942 “Aniki-Bóbó”, de Manoel de Oliveira. Com as zonas de Miragaia, Ribeira, Sé e Sobreiras como pano de fundo, o filme apresenta testemunhos de pessoas que vivenciaram as filmagens feitas pelo conhecido realizador português.

Pelas mãos de Robert Mathy chegará, da Áustria, o projeto “Volume”, instalação sonora que utiliza o espaço de exibição como um objeto acústico. O trabalho integra 24 motores montados em diferentes superfícies que fazem parte da sala de exposição – paredes de estuque, interrutores de luz em plástico, soalho em madeira, janelas em vidro. Depois, no momento em que um motor é ativado, um espigão integrado baixa e bate na superfície na qual está montado, produzindo um som específico.

neu6Na área da Dança destaca-se, por exemplo, o trabalho finlandês “Kommandopiece aka Space Invaders” de Jarkko Partanen, que aborda as formas de autoridade e os usos do poder nos nossos ambientes diários. “Séria, apesar de muitas das vezes roçar o absurdo, a peça representa algumas cenas de segurança e insegurança sob o olhar atento de câmaras de segurança – que, dependendo do nosso ponto de vista, monitorizam ou restringem tanto a audiência como os atores”, explica a organização.

De salientar que as instalações sonoras na Casa da Música e as sessões de cinema no Passos Manuel são de entrada gratuita, embora que, neste último caso, se aconselhe a reserva dos lugares através de [email protected]. Os bilhetes de acesso aos concertos e performances na Casa da Música, Mosteiro São Bento da Vitória e Teatro Carlos Alberto custam entre quatro e seis euros.

Mariana Albuquerque

Programa do festival – http://www.elia-artschools.org/userfiles/Image/PROG_BY_DAY%202(1).jpg
PUBLICIDADE

PUB
PD- Revista Sabe bem