RECHEIO 50 ANOS

Município da Maia separa “cada vez mais e melhor”

Município da Maia separa “cada vez mais e melhor”

A Maiambiente revelou, esta quarta-feira, que a comunidade maiata está a “separar mais e melhor”, superando os indicadores pré-covid no que diz respeito aos fluxos principais: papel, embalagens e vidro. 

Em comparação com os meses de janeiro a setembro do ano passado, a empresa salienta que houve um acréscimo de mais de mil toneladas no período homólogo. “Um excelente resultado”, garante o diretor geral da empresa, Carlos Mendos, tendo em conta o condicionamento da atividade no período da pandemia, e que reflete “uma maior consciencialização da população no que diz respeito à importância da separação dos resíduos”. 

A este acréscimo, a Maiambiente indica que se somam ainda o índice de “Retomas de Recolha Seletiva”, situado nos 82 kg/hab, e a “Taxa de Preparação para Reutilização e Reciclagem” que atingiu os 48%, superando, as metas estipuladas pelo PERSU para o ano de 2020.  

“Estes indicadores são o reflexo do contributo e do esforço de toda a comunidade, para criar um município mais circular e mais limpo. Um esforço que não podemos deixar de enaltecer e agradecer”, afirmou o presidente do Conselho de Administração, Paulo Ramalho, citado no comunicado divulgado. 

Os resíduos mais recolhidos, entre janeiro e setembro deste ano, seletivamente, foram papel (3.228 ton.), vidro (2.844 ton.), embalagens (2.557 ton.) e resíduos de jardim (1.801 ton.).  

PUB
www.pingodoce.pt/campanhas/sabor-do-mes/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=peixe&utm_campaign=sabordomes