Philips

Mercado de escritórios com “resultados muito positivos” no 1º trimestre de 2020

Mercado de escritórios com “resultados muito positivos” no 1º trimestre de 2020

A consultora imobiliária Savills revelou que, no mercado de escritórios do Porto, o volume de absorção total relativo ao 1º trimestre de 2020 situou-se nos 19.149 m², uma subida muito significativa face ao mesmo período de 2019 – na altura, foram apenas ocupados 4.517 m² de espaços de escritórios.

No que diz respeito ao mercado de escritórios de Lisboa e Porto, o mês de março encerrou o 1º trimestre de 2020 com um volume de absorção total de 44.671 m2, representando uma subida de 6,9% comparativamente ao período homólogo de 2019. Perante o cenário de pandemia Covid-19 que estamos a atravessar, não podemos deixar de enaltecer que são resultados muito positivos, ainda que tenhamos de projetar previsões menos otimistas para o 2º trimestre de 2020”, nota o comunicado enviado à VIVA!.

“O volume de absorção verificado no 1º trimestre de 2020 não contempla ainda os efeitos gerados no mercado imobiliário pelo Covid-19, que estão já neste momento a causar um efeito wait and see nas decisões de investimento das empresas. Não obstante, acreditamos que Portugal irá conseguir manter-se como mercado atrativo e competitivo no contexto europeu”, refere Rodrigo Canas, associate director do Departamento de Escritórios da Savills Portugal.

No mercado de escritórios do Porto, o volume de absorção total relativo ao 1º trimestre de 2020 situou-se nos 19.149 m², o que representa uma subida muito significativa face ao mesmo período de 2019, altura em que foram apenas ocupados 4.517 m² de espaços de escritórios.

Fonte: Savills | LPI

A zona de mercado “CBD Boavista” constitui a zona prime do mercado de escritórios do Porto, tendo registado a melhor performance do trimestre com um volume de absorção total de 6.713 m².

No total foram registadas 16 operações, o que representa um aumento de 23% face ao período homólogo do ano 2019.

“O Porto continua a demonstrar que é uma cidade atrativa na captação de novas empresas, como exemplifica o crescimento significativo no volume de absorção. Muito ligado também ao facto de existirem novos projetos de escritórios de qualidade que fazem despertar o interesse de multinacionais para se instalarem nestes edifícios”, considera Rodrigo Canas.

37% do volume de absorção registado foi direcionado para espaços com um intervalo de área entre os 3.001 – 5.000 m2.

Os setores de “Outros Serviços”, “TMT´s & Utilities” e “Serviços a Empresas” foram os que maior peso exerceram na atividade de ocupação de escritórios ao longo do 1º trimestre de 2020, com 95% no volume total de absorção.

Já em Lisboa, a Zona do Parque das Nações foi a que absorveu maior volume de área ocupada com 11.848 m², num total de 6 operações, com duas operações a reverterem para áreas acima dos 3.000 m².

Fonte: Savills | LPI

“Na sequência do que temos vindo a observar nos meses de janeiro e fevereiro, no 1º trimestre de 2020 é muito claro que o mercado de escritórios de Lisboa está numa fase de crescimento da procura e ocupação de áreas maiores. Apesar de termos verificado um decréscimo no número de operações, as áreas médias ocupadas revelam uma tendência de subida”, afirma Alexandra Portugal Gomes, associate market research da Savills Portugal.

PUB
www.pingodoce.pt/campanhas/sabor-do-mes/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=carne&utm_campaign=sabordomes