PUB
Philips S9000

Matosinhos vai ser “cidade da inovação”

Matosinhos vai ser “cidade da inovação”

A antiga refinaria de Matosinhos será, no futuro, palco de uma cidade da inovação ligada às “energias do futuro”, que poderá gerar, em 10 anos, entre 20 a 25 mil empregos diretos.

A informação foi avançada esta quarta-feira e resulta de um protocolo assinado pela Câmara Municipal de Matosinhos, em parceria com a Galp e a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N).

“O desenvolvimento de um «Innovation District» [cidade da inovação] e a cedência de parcelas de terreno para a construção de um polo universitário são dois projetos em avaliação ao abrigo deste protocolo”, informa o comunicado divulgado pelas entidades.

Em causa está uma iniciativa de “topo dos projetos mundiais de tecnologia associada a energias sustentáveis”, que, segundo foi avançado, visa “promover a valorização económica, social e ambiental de toda a região Norte do país”.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

O protocolo, assinado por Luísa Salgueiro, presidente da Câmara de Matosinhos, Andy Brown, presidente executivo da Galp, e António Cunha, presidente da CCDR-N, obriga à “constituição de uma equipa técnica conjunta”, responsável por delinear, em articulação com as demais entidades competentes, todos os procedimentos necessários para cumprimento dos enquadramentos jurídicos e económicos associados ao projeto”.

Adicionalmente, haverá ainda outra comissão, da responsabilidade da Galp, que terá como funções o “desenvolvimento do projeto de requalificação urbanística de toda a área até aqui ocupada pela sua unidade industrial”, completa.

Em suma, a cidade da inovação pretende “um ecossistema urbano, social e ambientalmente sustentável”, que incluirá, num só espaço, “comércio e serviços, hotelaria, restauração, indústria 5.0, habitação e equipamentos culturais e de lazer, com destaque para um parque verde”.

PUBLICIDADE

PUB
PD-Bairro Feliz