PUB
CMPorto

Matosinhos reforça equipas e meios no combate à vespa asiática

Matosinhos reforça equipas e meios no combate à vespa asiática

A Câmara Municipal de Matosinhos aumentou o número de equipas afetas à destruição de ninhos de vespas asiáticas e dotou as quatro corporações de bombeiros com quatro aparelhos de queima, oito equipamentos de proteção individual de queima e oito fatos de apicultor simples.

Matosinhos tinha apenas uma equipa de combate à vespa asiática. Constituída por um técnico e dois operacionais, esta estava munida de equipamentos de proteção individual, carro-grua e queimadores. Mas, desde terça-feira, a autarquia aumentou para cinco as equipas de destruição, dotando ainda as quatro corporações de bombeiros do município com meios de combate como aparelhos de queima, fatos simples e equipamentos de proteção individual de queima.

“Além de reforçar a nossa equipa, estamos a alargar esta resposta às corporações de bombeiros para nos auxiliarem nesta missão. É um motivo de tranquilidade e vantajoso para todos” afirmou a presidente matosinhense, Luísa Salgueiro, na cerimónia de entrega dos novos equipamentos.

O município vai ainda adquirir inseticidas em formato de pastilha para locais onde não seja possível realizar queima, inseticida em formato de aerossol (vulgar spray), para repelir/destruir pequenos ninhos ou aglomerados de vespas, e uma arma de paintball adaptado para o uso de pequenas esferas congeladas com inseticidas para situações de ninho inacessíveis.

Segundo aponta a autarquia, entre os meses de maio e novembro, a Proteção Civil de Matosinhos recebe entre 5 a 10 pedidos de ajuda diários relacionados com a vespa asiática.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

O primeiro ninho de vespas asiáticas no concelho foi identificado em 2013, tendo, nessa altura, a autarquia elaborado um plano de ação específico para a vespa asiática. Desde esse ano que o Município de Matosinhos efetua todas as ocorrências de ninhos no Sistema de Informação Geográfica.

“Temos todos os dados cartografados para perceber os fatores ambientais que contribuem para a multiplicação dos casos. Queremos ampliar os meios de combate para que sejam mais rápidos, mais próximos e mais eficazes” salientou o Vereador da Proteção Civil, José Pedro Rodrigues.

Refira-se que só no ano de 2014 é que surge a primeira versão consolidada do Plano de Ação para a Vespa Velutina – SOSVESPA. A Proteção Civil de Matosinhos passou a operar na deteção e destruição desde a implementação do plano nacional.

De 2015 a 2019, foram mais de 850 os ninhos de vespas asiáticas destruídos.

Foto: CM Matosinhos

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

PUB
Pingo Doce- Revista Sabe Bem