Philips

Matosinhos quer construção de terceira ponte para Leça incluída no PRR

Matosinhos quer construção de terceira ponte para Leça incluída no PRR

A Câmara Municipal de Matosinhos defende que o Plano de Recuperação e Resiliência de Portugal (PRR) deve contemplar a construção de uma terceira travessia entre Matosinhos e Leça da Palmeira, a adaptação da Linha de Leixões para passageiros e a ligação de metrobus a Leça da Palmeira.

“A câmara vai indicar a necessidade de incluir nos investimentos previstos quer a adaptação da Linha de Leixões para passageiros, quer a terceira travessia entre Matosinhos e Leça da Palmeira, quer a ligação a Leça da Palemira em metro bus”, revelou a presidente da autarquia, Luísa Salgueiro, na última reunião pública do executivo municipal.

Estas reivindicações vão ser traduzidas numa proposta a apresentar em sede de inclusão no PRR, disse ainda a autarca.

“Eu bem sei que as prioridades que estão previstas no PRR têm como condição que sejam exequíveis até 2026. E, portanto, muitas das nossas pretensões, designadamente as novas linhas de metro poderão não ser atendíveis. Mas, ainda assim, nós consideramos importante que o município de Matosinhos traduza para este instrumento as suas reivindicações”, afirmou Luísa Salgueiro.

A Linha de Leixões, atualmente apenas utilizada para o transporte de mercadorias, liga a Linha do Minho, na Estação de Contumil, ao Porto de Leixões, em Matosinhos. Inaugurada em 1938, a Linha fez serviço de passageiros até 1987 e entre maio de 2009 e janeiro de 2011.

Em janeiro, lembra a Lusa, o secretário de Estado das Infraestruturas defendeu a necessidade de “uma avaliação muito rigorosa da transformação da Linha de Leixões para perceber a sua eficácia e procura” antes de ser posta ao serviço das pessoas.

A necessidade da construção de uma “terceira travessia” entre Matosinhos e Leça da Palmeira (além da ponte móvel e “ponte grande na Autoestrada 28”) é, segundo a autarquia, “imprescindível” para ligar as duas margens, dadas as frequentes avarias da ponte móvel.

O Plano de Recuperação e Resiliência de Portugal, para aceder às verbas comunitárias pós-crise da covid-19, prevê 36 reformas e 77 investimentos nas áreas sociais, clima e digitalização, num total de 13,9 mil milhões de euros em subvenções.

De recordar que o documento está consulta pública.

Foto: CM Matosinhos

PUB
www.pingodoce.pt/campanhas/sabor-do-mes/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=carne&utm_campaign=sabordomes