PUB
Recheio 2024 Profissional

KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã

KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã
KINO 2016 abre em Serralves com filme de Cristoph Hochhäusler

A Mostra de Cinema de Expressão Alemã está de regresso pelo 13.º ano consecutivo a Lisboa, ao Porto e a Coimbra e decorre a partir da próxima quarta-feira (dia 27), prolongando-se até dia 4 de fevereiro.
A edição deste ano da Mostra, organizada pelo Goethe Institut, passa no Porto – no Auditório de Serralves – nos dias 30 e 31 deste mês, contando com a exibição de quatro filmes e, na abertura em solo portuense, KINO trará o mais recente filme de um dos expoentes da Escola de Berlim, o cineasta Cristoph Hochhäusler, que nunca viu um título estreado, comercialmente, em território português.

kino2“Die Lügen der Sieger” (em português “As Mentiras dos Vencedores”), de Cristoph Hochhäusler, é um dos grandes nomes presentes no KINO, marcando a abertura do festival em Lisboa e, também, no Porto, dia 30, às 21h30.
A obra é considerada um thriller político ao estilo do cinema liberal americano dos anos 70, onde Fabian Groys é um jornalista de renome na redação berlinense de uma revista de informação política que tem vindo a trabalhar numa reportagem de grande fôlego sobre as Forças Armadas e o modo como estas lidam com os inválidos de guerra.

A extensão do festival no Porto vai apresentar ainda, no dia 31, às 17h, “Hin und Weg” (em português, “Ida Sem Volta”) de Christian Zübert. A obra é considerada como uma “road movie de bicicleta, simultaneamente uma tragédia cómica e uma comédia trágica, tão otimista quanto comovente”, contando a história de um casal – Hannes e Kiki – e um grupo de amigos que se fazem à estrada para uma viagem de bicicleta. No entanto, só na viagem é que todos ficam a saber que aquela será a última aventura de Hannes.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

kino3No domingo também, às 19h, “Wir sind jung, wir sind stark” (em português, “Somos jovens. Somos Fortes”), do realizador Burhan Qurbai, filho de pais provenientes do Afeganistão, contará uma história passada em 1992, três anos após a queda do Muro de Berlim,  no bairro de Lichtenhagen, na cidade de Rostock. Numa urbanização de aspeto monótono, jovens desempregados combatem o tédio. Num grupo que se organiza em redor de Stefan, filho de um político local, as provocações à Polícia e aos estrangeiros estão sempre na ordem do dia.
Burhan Qurbani desenha, assim, um retrato de uma juventude sem perspetivas, no meio da tristeza desoladora das urbanizações residenciais, no período pós-RDA. Sendo ele próprio filho de emigrantes afegãos, Qurbani considera que este seu segundo filme omite conscientemente qualquer mensagem política, exprimindo antes a frustração “numa época marcada pela reorientação social e política e pelo vácuo”.

kino4Para terminar a passagem pelo Porto, o KINO 2016 leva a Serralves, às 21h30, “Als wir träumten” (em português, “Quando sonhávamos”), obra realizada por Andreas Dresen, que no ano passado voltou a ser selecionado para o Berlinale, o Festival Internacional de Cinema de Berlim.
A obra retrata uma região nos arredores da cidade de Leipzig logo após o fim da República Democrática Alemã. O filme conta a história do crescimento de Rico, Dani, Paul e Mark no turbilhão da Alemanha reunificada. “A noite transforma-se em dia, as ruas tornam-se o palco das suas aventuras. Rebeldes e recalcitrantes, os rapazes vagueiam pelas redondezas, roubam automóveis, experimentam drogas e o novo bar de swingers”, é assim descrito.  
Desta forma, aquilo que o escritor Clemens Meyer, natural de Leipzig, registou no seu primeiro e muito distinguido romance de 2006, surge condensado pela mão do argumentista Wolfgang Kohlhaa-se e do realizador Andreas Dresen numa parábola fílmica sobre a amizade e a traição, a esperança e a ilusão, a brutalidade e a ternura. “Als wir träumten” é a história de uma juventude perdida e, ao mesmo tempo, a utopia de felicidade suprema.
A mostra de cinema vai trazer assim filmes do panorama atual do cinema alemão à Invicta.
O preço do bilhete para uma sessão é de três euros.

Texto: Raquel Andrade Bastos
PUBLICIDADE

PUB
PD- Revista Sabe bem