CMPorto

Investigadores do Porto descobrem método inovador de diagnostico ao cancro renal

Investigadores do Porto descobrem método inovador de diagnostico ao cancro renal

Investigadores do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) e do Instituto Português de Oncologia do Porto Francisco Gentil (IPO-Porto) são responsáveis pela identificação de biomarcadores em plasma que podem permitir o diagnóstico precoce de cancro renal.

Mais concretamente, José Pedro Sequeira, estudante, Cármen Jerónimo, docente e investigadora, ambos do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) da Universidade do Porto, e Rui Henrique, investigador do Instituto Português de Oncologia do Porto Francisco Gentil (IPO-Porto), são os principais responsáveis pela descoberta.

A descoberta aumenta, significativamente, as probabilidades de os doentes receberem um tratamento curativo no tempo adequado. O cancro renal é um dos 20 cancros mais comuns e dos mais letais, uma vez que entre 20% a 30% dos doentes já apresentam metástases no momento do diagnóstico.

Os investigadores desenvolveram as pesquisas e testes pelo um período de dois anos, envolvendo 124 amostras de doentes com carcinoma de células renais, o que permitiu a identificação de tumores em estádio localizado (confinado ao órgão) com uma sensibilidade de quase 90%, o que poderia reduzir os falsos negativos, permitindo avançar com um tratamento (cirurgia) de índole curativa. Foi possível, também, identificar os doentes com o subtipo de carcinoma renal mais comum e um dos mais agressivos, o “carcinoma de células claras”, nos quais uma deteção precoce é de grande importância.

“Os resultados obtidos têm um grande potencial para serem aplicados na clínica”, acrescentando, ao portal Notícias U.Porto, que “agora será necessário completar o estudo com mais amostras, com a sua realização em vários centros hospitalares e com populações diferentes para, posteriormente, se poder avançar com a utilização desta técnica para deteção precoce da doença”, revela José Pedro Sequeira, o primeiro autor do trabalho e mestre em Oncologia pelo ICBAS.

Cármen Jerónimo, docente do ICBAS, diretora do Centro de Investigação do IPO-Porto, partilha a mesma opinião de José Sequeira, revelando que “este é um estudo de translação, que poderá permitir a deteção de tumores renais numa fase muito inicial de desenvolvimento, aumentando a probabilidade de cura dos doentes e a sua esperança e qualidade de vida”.

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/diga-ola-ao-verao-com-a-sabe-bem/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=sabebem&utm_campaign=sabebem