PUB
CMPorto

Horário em que as crianças ingerem refeições influencia o seu peso

Horário em que as crianças ingerem refeições influencia o seu peso

As crianças que ingerem mais alimentos durante a tarde ou depois do jantar têm mais probabilidade de desenvolver excesso de peso ou obesidade, indica um estudo do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP).

A investigação, recentemente publicada na revista Journal of Biological Rhythms, de acordo com informação divulgada no portal de notícias da Universidade do Porto, avaliou os hábitos alimentares de 1961 crianças da coorte Geração XXI, um projeto iniciado em 2005 e que acompanha mais de oito mil crianças da cidade do Porto, entre os 4 e os 7 anos.

O estudo, de acordo com informação divulgada no portal de notícias da U. Porto, mostra, ainda, que “é mais benéfico para o peso das crianças distribuir o consumo alimentar ao longo do dia e com maior proporção energética nas refeições principais”, como pequeno-almoço, almoço e jantar.

Segundo Sofia Vilela, primeira autora da investigação, as crianças que têm um padrão alimentar, caracterizado por saltarem o pequeno-almoço, terem o almoço mais tarde e comerem depois do jantar, estão em maior risco de desenvolverem excesso de peso ou obesidade.De facto, existe a ideia errónea de que saltar o pequeno-almoço poderá ajuda a perder peso, mas, na verdade, poderá ter o efeito contrário, já que quem não toma esta refeição acaba por depois comer mais, porque não está tão saciado. E isso foi o que vimos nestas crianças”.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

Além disso, o consumo de alimentos no horário da ceia também parece ser um fator diferenciador, uma vez que “estudos anteriores sugerem que o nosso organismo não utiliza tão eficazmente as calorias ingeridas durante o período noturno, o que pode ser um dos fatores que provoca um distúrbio no nosso relógio biológico interno”. Os períodos diurnos parecem ser os mais eficazes para o organismo gastar energia”, destaca.

É aconselhável, de acordo com a investigação, que as crianças “consumam a maior proporção dos alimentos ao pequeno-almoço, almoço e jantar e que vão diminuindo as quantidades ao longo do dia”, sendo que “a ceia poderá ser dispensável”.

Intitulado “Chrono-Nutrition: The Relationship between Time-of Day Energy and Macronutrient Intake and Children’s Body Weight Status”, o estudo é, também, assinado pelos investigadoresCarla Lopes, Andreia Oliveira e Milton Severo.

PUBLICIDADE

PUB
PD- Revista Sabe bem