PUB
Philips S9000

Histórico: SC Braga dá “arraial” minhoto na Grécia e está de volta à Liga dos Campeões

Histórico: SC Braga dá

Como se diz na gíria, foi uma vitória arrancada a ferros, mas o que importa é que o Sporting Clube de Braga está na fase de grupos da Liga dos Campeões, pela terceira vez na sua história. O clube minhoto venceu, esta terça-feira, os gregos do Panathinaikos FC, por 1-0, carimbando assim a passagem para a mais prestigiada competição de clubes da UEFA.

Num playoff de acesso jogado a duas mãos, o SC Braga foi de malas e bagagens aviadas, rumo à Grécia, já com uma pequena vantagem no “bolso”. No primeiro jogo, disputado no reduto bracarense, a turma de Artur Jorge havia vencido por 2-1, ainda que ficasse um “amargo de boca”, pelas várias oportunidades criadas, que poderiam ter resultado em mais golos.

Ainda assim, apesar de curta, a vantagem era suficiente para apenas precisar de um empate, em Atenas. Numa atmosfera de bastante emoção, o jogo começou com alguma tensão de ambas as partes, atendendo à importância do jogo em questão. De qualquer das formas, foi o SC Braga que criou a primeira grande oportunidade de golo, à passagem dos 30 minutos, por intermédio de um remate de Abel Ruiz. Ricardo Horta ainda tentou fazer a emenda, mas os defesas do Panathinaikos foram “imperiais” em afastar a bola de zona de perigo.

Já quase no fim da primeira parte, aos 44 minutos, os “Guerreiros do Minho” ainda viram a sua vida a andar para trás. Num pontapé de canto, deu-se um ressalto que fez com que a bola ficasse à disposição da cabeça de um jogador do Panathinaikos, que, no frente a frente com Matheus, e para alívio da equipa nortenha, não conseguiu inaugurar o marcador.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

Passou o perigo e as equipas recolheram às cabines. Veio o segundo tempo e, com ele, aumentou a urgência da equipa grega em carregar ao ataque. À passagem do minuto 54, mais um calafrio para o SC Braga, após remate cruzado de Palacios, que só não foi golo porque estava lá Matheus.

Passavam-se os minutos, aumentava-se a tensão no Estádio Apostolos Nikolaidis, em Atenas. Já com o público a ferver pelo facto dos gregos não conseguirem chegar à vantagem, foi Bruma, avançado do SC Braga, que resolveu a questão, servindo um grande “banho de gelo”, na Grécia. Estava, assim, feito o 1-0, após uma combinação entre Pizzi, Ricardo Horta e, claro, Bruma.

Na junção das duas mãos, o SC Braga bateu o Panathinaikos por 3-1. Recorde-se que nas duas anteriores idas à Liga dos Campeões, o emblema minhoto bateu, também em playoff, o Sevilha FC (2010/2011) e a Udinese (2012/2013). A passagem à fase de grupos representa um encaixe financeiro de cerca de 30 milhões de euros.

Foto: SC Braga (Facebook)

PUBLICIDADE

PUB
Prémio Literatura Infantil Pingo Doce