Philips

Governo apresenta plano de vacinação contra a covid-19

Governo apresenta plano de vacinação contra a covid-19

Portugal ficou a conhecer na quinta-feira o plano nacional de vacinação contra a covid-19, que deverá arrancar em janeiro de 2021 e será “universal, gratuito e facultativo”. 

De acordo com o plano apresentado, a vacinação chegará a 950 mil pessoas, numa primeira fase, que tem como prioridades “pessoas com 50 ou mais anos, com pelo menos uma das seguintes patologias: insuficiência cardíaca, doença coronária, insuficiência renal e doença respiratória crónica com suporte ventilatório”. 

Os residentes em lares e internados em unidades de cuidados continuados e os respetivos profissionais, profissionais de saúde e das Forças Armadas e de Segurança estão também incluídos nesta primeira fase de vacinação, que se prevê que arranque já em janeiro e se estenda até fevereiro. 

Na segunda fase, a decorrer de janeiro a março, estarão abrangidas 1,8 milhões de pessoas que se distribuem, entre dois grupos – cidadãos com mais de 65 anos sem doenças e cidadãos entre 50 e 65 anos que tenham diabetes, cancro, insuficiência hepática e renal, obesidade e hipertensão. 

Por sua vez, a terceira fase do plano contempla “o resto da população”, caso “a indústria consiga produzir vacinas à velocidade suficiente”. “Se não o conseguir, serão criados novos subgrupos prioritários, que serão vacinados ao ritmo a que as vacinas sejam produzidas”, explicou o Governo, salientando que o plano poderá prolongar-se até abril. 

A vacinação será feita em mais de 1.200 centros de saúde assim como em lares e unidades de cuidados continuados, para os residentes nesses locais, cuja vacina será administrada pelas equipas de enfermagem. 

No final da apresentação do plano de vacinação, o primeiro-ministro, António Costa, afirmou que existe “uma luz ao fundo do túnel”, mas que o túnel ainda é “muito comprido e bastante penoso”.  

O chefe do Governo garantiu ainda que o plano é “claro” e compreensível e recordou que Portugal nunca havia tido “um esforço de vacinação com um volume tão significativo num tão curto espaço de tempo”. 

António Costa terminou o discurso otimista e confiante para os próximos meses que se avizinham, embora consciente das dificuldades que ainda estão pela frente. “Haja confiança”, destacou. 

PUB
www.pingodoce.pt/produtos/comida-fresca-takeaway/encomendas/menu-seleccao-do-chef/menu-dia-dos-namorados-3/?utm_source=cm&utm_medium=cpc&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=diadosnamorados&utm_campaign=menudochef