PUB
Recheio 2024 Institucional

Gaia quer repensar ponte do Gólgota, de ligação à Boavista

Gaia quer repensar ponte do Gólgota, de ligação à Boavista

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR
O projeto de Reabilitação Urbana do Centro Histórico de Vila Nova de Gaia sugere que seja ponderada a construção da ponte do Gólgota, de ligação entre as Devesas e a zona da Boavista, no Porto.

Segundo o documento, que vai ser votado na reunião camarária de segunda-feira, a proposta de construção daquela travessia do Douro “deve ser ponderada caso se entenda salvaguardar, tal como a conhecemos, a relação de identidade Gaia-Porto intimamente ligada à paisagem”.
A Câmara de Gaia considera que esta avaliação deve ser feita “no âmbito da implementação da solução pré-metro (linha G da Metro do Porto), para promoção de uma ligação direta entre a Boavista e as Devesas”.
A ponte do Gólgota, da autoria do professor Adão da Fonseca, foi pensada há mais de uma década para receber automóveis e a linha ocidental de metro do Porto (designada como linha do Campo Alegre), ligando Gaia e o Porto a montante da ponte da Arrábida.
De acordo com o projeto de Reabilitação Urbana do Centro Histórico de Vila Nova de Gaia, o valor global estimado para a sua construção é de “210 milhões de euros”, dos quais 178,7 milhões de euros são de investimento privado.
O documento, que vai ser submetido a uma discussão pública de 20 dias, sugere que seja “igualmente ponderada a construção de uma nova travessia do rio Douro à cota inferior”.
Para a autarquia, a avaliação deve ter em consideração a “importância desta estrutura para o atravessamento de fluxos urbanos e o descongestionamento da ponte Luiz I, mas também o uso que lhe poderá ser adstrito e sua delicada, mas estratégia, inserção, dado o espaço em que se insere”.
“Em suma, a opção pela construção de novas pontes deve ser repensada tendo em conta o real interesse e benefício que esses novos sistemas podem introduzir na(s) (duas) cidade(s)”, acrescenta.
O projeto de Reabilitação Urbana do Centro Histórico de Vila Nova de Gaia prevê 11 intervenções estratégicas naquela zona e, no plano da mobilidade, está prevista a definição de “novos meios mecânicos” de ligação entre a cota alta e a cota baixa daquela zona da cidade.
Atrair novos moradores aos centro histórico e promover “parcerias com os proprietários” para desenvolver “um projeto de intervenção próprio” para as ilhas [habitações operárias típicas do século XIX, na zona do Porto] são outras das vertentes do projeto de Reabilitação Urbana do Centro Histórico de Vila Nova de Gaia.

PUBLICIDADE

PUB
PD-Bairro Feliz