RECHEIO 50 ANOS

Gaia quer aderir a projeto para acabar com o VIH

Gaia quer aderir a projeto para acabar com o VIH

A Câmara de Gaia vai discutir na próxima reunião do executivo municipal, dia 19, a sua adesão à Rede Fast Track Cities, projeto que pretende acabar com epidemia de VIH até 2030. As cidades portuguesas do Porto, Lisboa, Seixal, Setúbal e Odivelas, já fazem parte desta iniciativa.

“Os objetivos passam por permitir que os municípios assumam o compromisso de atingir zero estigma relacionado com o VIH, zero mortes associadas à SIDA e que cumpram a meta dos 95-95-95 até 2030, ou seja, 95% das pessoas que vivem com VIH sabem o seu estado serológico, 95% das pessoas que sabem que o seu estado serológico é positivo estão em tratamento antirretroviral e 95% das pessoas em tratamento tem cargas virais suprimidas”, pode ler-se na plataforma da autarquia.

Os municípios que aderem a esta rede “comprometem-se a fornecer acesso sustentado a testes, tratamentos e serviços de prevenção do VIH”, numa abordagem ampla para acabar com esta epidemia, que também versa outros problemas, “como a tuberculose, hepatites virais, infeções sexualmente transmissíveis, saúde mental, distúrbios de uso de substâncias e comorbidades associadas ao envelhecimento” a doença.

“Depois de assinado o protocolo e numa parceria com o IAPAC (International Association of Providers of AIDS Care)”, o município de Gaia “irá constituir a rede Fast Track Cities”, para “integrar as entidades formais e comunitárias” na “discussão de planos, iniciativas e medidas”. A adesão não implica qualquer compromisso financeiro.

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/sabe-bem-poupar-todos-os-dias/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=27012023-edicao71utm_campaign=sabebem