CMPorto

Gaia: construção dos edifícios da PATA já começou

Gaia: construção dos edifícios da PATA já começou

As obras de construção dos edifícios da Plataforma de Acolhimento e Tratamento Animal (PATA) têm a duração prevista de um ano, devendo estar concluídas em fevereiro de 2021. O investimento municipal é de cerca de 1,4 milhões de euros.

 “Concluída a primeira fase da construção da Plataforma de Acolhimento e Tratamento Animal (PATA), nomeadamente os trabalhos de modelação do terreno, de execução do arruamento de acesso e de criação das estruturas de suporte da plataforma, já arrancou a segunda e última etapa deste processo” – a construção dos edifícios, anuncia a Câmara de Vila Nova de Gaia, em comunicado.

A estrutura, que se prevê esteja terminada em fevereiro de 2021, ficará enquadrada numa zona verde da freguesia de Avintes, nas proximidades do Parque Biológico de Gaia, numa área de cerca de 36 mil metros quadrados – “quatro vezes maior do que a superfície do Centro de Reabilitação Animal” -. O investimento municipal é de cerca de 1,4 milhões de euros.

Segundo explica a autarquia, o equipamento estará estruturado em três grandes grupos: o núcleo ‘formar’, um elemento autónomo no seu posicionamento, estará destinado a um centro de formação vocacionado, essencialmente, para ações de sensibilização contra o abandono dos animais, bem como sobre os cuidados a ter com os mesmos. Já o núcleo ‘cuidar’ destinar-se-á às áreas administrativas, de tratamento e de apoio ao alojamento dos animais, incluindo, ainda, um gatil.

O terceiro núcleo, o ‘alojar’, será constituído pelos edifícios anexos, que ocupam as posições mais reservadas e protegidas, de modo a assegurar o bem-estar dos animais. “Destinado ao seu alojamento, e oferecendo uma maior capacidade do que a oferecida atualmente, este espaço contará com algumas novidades, como uma maternidade, uma área de recreação e um parque canino. Desta forma, a PATA terá as valências necessárias para os cuidados e tratamentos dos animais, contribuindo para uma melhoria das suas condições”, assegura.

Segundo a Câmara de Gaia, a PATA nasceu da necessidade de acrescentar mais valências à atual oferta do Município. No Centro de Reabilitação Animal de Gaia há falta de espaço e de celas, bem como de um espaço dedicado à formação e de uma zona lúdica mais ampla onde os animais possam circular e fazer determinado tipo de treino. O CRA tem, atualmente, dois pavilhões, dentro dos quais estão instaladas 38 jaulas para cães e um espaço para gatos. “Apesar destas dificuldades, este centro tem desempenhado um papel fundamental na promoção da adoção de cães e gatos que são recolhidos pelo Município no decorrer das suas obrigações legais, bem como aqueles que são entregues pelos munícipes porque se assume sempre que todos os animais têm potencial para serem adotados”, garante a autarquia. 

PUB
www.pingodoce.pt/campanhas/sabor-do-mes/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=092022-carnepicadaangus&utm_campaign=sabordomes