PUB
Junta da Galiza

Futuros médicos da UMinho apoiam idosos de aldeias isoladas

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR
Vinte e seis voluntários vão deslocar-se a 33 aldeias do concelho de Vila Pouca de Aguiar para a realização de rastreios e para a avaliação das condições de habitabilidade dos cidadãos.      

Entre quinta-feira e domingo, alunos de Medicina da Universidade do Minho (UMinho) vão levar cuidados de saúde a cerca de duas centenas de idosos isolados de 33 aldeias do concelho de Vila Pouca de Aguiar.
As visitas ao domicílio vão contemplar a realização de rastreios cardiovasculares, a identificação de problemas de saúde e mobilidade e a avaliação das condições de habitabilidade dos cidadãos. A iniciativa, que conta, este ano, com a participação de 26 estudantes voluntários, surge no âmbito da segunda edição do projeto “Aldeia Feliz”, dinamizado pelo Núcleo de Estudantes de Medicina da referida instituição de ensino superior. Os futuros médicos percorrerão, assim, as freguesias de Tresminas, Alvão, Bragado, Capeludos de Aguiar, Pensalvos e Parada de Monteiros. Em comunicado enviado às redações, os organizadores sublinharam que os idosos poderão ainda aprender “como proceder em situações de emergência”, para além de ficarem a conhecer os tipos de apoio social existentes na região.
“O envelhecimento populacional português sobeja e, com ele, todos os riscos associados ao isolamento da terceira idade. Adicionalmente, a presença de várias comorbilidades é frequente, o que impede o normal desempenho das suas atividades diárias. É neste quadro social que se enquadra o alvo de intervenção deste projeto”, referiu Sara Carlos, do Núcleo de Estudantes de Medicina da UMinho.

PUBLICIDADE

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/novo-ano-nova-sabe-bem/?utm_source=vivaporto&utm_medium=cpc&utm_campaign=sabebem&utm_term=leaderboardmobile