PUB
Recheio 2024 Institucional

Fresh Street#2

Fresh Street#2
Feira escolhida para ser anfitriã do maior encontro internacional das artes de rua

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

Santa Maria da Feira foi o local escolhido para receber, em maio do próximo ano, o maior seminário internacional para o desenvolvimento das artes de rua, o “Fresh Street”. De 24 a 26, o Europarque receberá cerca de 450 decisores de vários países que vão discutir o futuro deste setor.

A apresentação da iniciativa – promovida pela rede europeia Circostrada – decorreu esta semana, onde foi revelado que o município português conseguiu ultrapassar cidades europeias como Londres ou Paris para receber a sua segunda edição.   
Emídio Sousa, presidente da câmara feirense, disse acreditar que “pelo número de players internacionais” que vão participar no evento, este será “o equivalente ao Web Summit das indústrias criativas”.
O autarca referiu, ainda, que esta iniciativa no município, que já é palco do maior festival internacional de arte de rua, o Imaginarius, é espelho da grande aposta feita no domínio das artes de rua, provando que estas podem contribuir para o desenvolvimento de um território, justificando-o com o seu poder de internacionalização.
fresh_street“Numa fase em que Portugal precisa urgentemente de desenvolvimento económico e crescimento, o Governo tem cá um evento que é de grande importância para o país e há que saber rentabilizar a oportunidade”, explicou Emídio Sousa.
O Fresh Street#2 contará com mais de três dezenas de sessões temáticas ou plenárias sobre aspetos de interesse regional e global. Para Bruno Costa, diretor do evento, serão “três dias de trabalho intensivo”, que no final resultará na realização de um documento público sobre “o estado da arte do setor e a sua estratégia de futuro”.
O evento vai incluir conferências e sessões mais informais em grupos de trabalho, com lotação limitada, e vão discutir questões sobre direitos de autor nas artes de rua e as boas práticas dos planos de segurança para eventos que envolvam pirotecnia e outros fatores de risco.
Durante estes dias também haverá tempo para discutir os modelos atuais de apoio à criação artística, o envolvimento de voluntários e comunidade em projetos de arte de rua, os desafios colocados às parcerias internacionais no setor e as oportunidades que esse proporciona para transformação do território.
O vereador da Cultura da Feira, Gil Ferreira, disse ainda que “o evento incluirá sessões com foco específico em territórios de expressão portuguesa – como o Brasil, Cabo Verde e Macau – e terá também em discussão os caminhos das políticas públicas para o apoio às artes de rua, já que o programa acolhe, em paralelo, um encontro de decisores políticos à escala europeia”.
fresh_street3Sobre o facto do seminário acontecer na Feira, o vereador afirmou que “é um reconhecimento de duas décadas a trabalhar os temas das artes de rua”.
Gil Ferreira destacou ainda a importância da realização deste evento para a região Norte e para o país na íntegra.
O Fresh Street, que no ano passado se realizou em Barcelona, Espanha, terá um mercado para promoção de projetos nacionais, que já tem uma quota mínima de “70% de artistas portugueses”.
As inscrições para participantes começam já na próxima semana, mas o pré-programa da iniciativa tem já confirmados 55 oradores de referência mundial, como o diretor do Sziget Festival da Hungria, o responsável pelo Centro de Artes de Rua da Coreia do Sul, a diretora do coletivo egípcio Mahatat for Contemporary Art, o coordenador de efeitos pirotécnicos do festival norte-americano Burning Man e, ainda, Rachel Clare, a diretora artística do evento Piccadilly Circus Circus.

PUBLICIDADE

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/novo-ano-nova-sabe-bem/?utm_source=vivaporto&utm_medium=cpc&utm_campaign=sabebem&utm_term=leaderboardmobile