PUB
Recheio 2024 Institucional

Fotojornalismo e cinema marcam arranque do congresso dos jornalistas

Fotojornalismo e cinema marcam arranque do congresso dos jornalistas
O Congresso dos Jornalistas, que começa esta quinta-feira, no Cinema S. Jorge, em Lisboa, foi antecipado por uma exposição de fotografia e um ciclo de cinema e debates, já desde este domingo.

A exposição e ciclo são abertos ao público em geral, com o objetivo de abrir a discussão sobre jornalismo à sociedade civil.
Organizado por uma equipa presidida pela jornalista Maria Flor Pedroso e promovido pelo Sindicato dos Jornalistas, pela Casa da Imprensa e pelo Clube dos Jornalistas, o Congresso dos Jornalistas Portugueses, o primeiro em quase duas décadas, decorrerá desta quinta-feira a domingo, 15 de janeiro, no Cinema São Jorge, em Lisboa, sob o lema “Afirmar o Jornalismo”.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

Fotojornalismo
A exposição de fotografia “O Trabalho”, proposta e organizada pelo fotojornalista José Carlos Carvalho, reúne imagens de 16 fotojornalistas que, nos últimos anos, ficaram sem vínculo laboral com as empresas de jornalismo em Portugal.
Os autores dos trabalhos são António Pedro Santos, Bruno Simões Castanheira, Diana Quintela, João Paulo Dias, José Barradas, José Fernandes, José Manuel Ribeiro, José Sérgio, Manuel Vicente, Natacha Cardoso, Natália Ferraz, Paulo Alexandre Coelho, Paulo Alexandrino, Paulo Figueiredo, Rodrigo Cabrita e Rui Costa.
“Estas 16 fotografias são uma pequena homenagem ao fotojornalismo, pela lente de quem já provou ser capaz”, resume José Carlos Carvalho. “Eles, que hoje estão numa situação profissional precária, muitos ainda com subsídio de desemprego e outros que se tornaram freelancers, mostraram em grande formato a forma como vêem o trabalho”, explica.
A exposição foi  inaugurada no domingo, dia 8, às 17:00, com uma visita guiada por José Carlos Carvalho e Mário Cruz, fotojornalista premiado (World Press Photo e Prémio Estação Imagem em 2016), e estará aberta ao público em geral até dia 12 (mas neste dia só à noite).

Cinema:”Parem as rotativas, vamos conversar!”
O cinema também marca presença no 4.º Congresso dos Jornalistas Portugueses, trazendo a Portugal o jornalista norte-americano Michael Rezendes, Prémio Pulitzer de Serviço Público em 2003 pela investigação desencadeada pelo jornal “The Boston Globe” aos abusos sexuais de menores na Igreja Católica, retratada no filme “O caso Spotlight”, que será exibido no dia 12, quinta-feira.
Mas o ciclo “Parem as rotativas, vamos conversar!” começou já neste domingo, às 18h30, no Cinema São Jorge, com “Verdade” (2015), filme de estreia de James Vanderbilt, sobre uma investigação de dois jornalistas ao percurso militar do antigo presidente dos Estados Unidos George W.Bush..
O ciclo pretende abrir a discussão sobre jornalismo à sociedade civil e, portanto, cada filme, sempre às 18h30, será seguido de debate, sempre às 20h30.
Seguem-se, esta segunda-feira, “Matem o Mensageiro” (2014), de Michael Cuesta, baseado na história do jornalista norte-americano Gary Webb, na terça, “Nightcrawler – Repórter da Noite” (2014), de Dan Gilroy, sobre o jornalismo criminal e os limites de uma boa história, e, na quarta-feira, “O Quinto Poder” (2013), de Bill Condon, a partir da história da organização Wikileaks.
O ciclo termina no dia 12, quinta-feira, coincidindo com a abertura oficial do Congresso dos Jornalistas Portugueses, com o filme “O caso Spotlight” (2015), de Tom Carthy, premiado com dois Óscares.
Nos debates estarão presentes, entre outros, a empresária Catarina Portas, a editora Bárbara Bulhosa, o sociólogo Manuel Carvalho da Silva, o professor Jaime Nogueira Pinto, a historiadora Irene Pimentel, o dirigente da SOS Racismo Mamadou Ba e o realizador Marco Martins.
A programação completa do ciclo – que é aberto ao público em geral – está disponível em http://www.congressodosjornalistas.com/.

PUBLICIDADE

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/novo-ano-nova-sabe-bem/?utm_source=vivaporto&utm_medium=cpc&utm_campaign=sabebem&utm_term=leaderboardmobile