PUB
CMPorto

Fim da produção própria na RTP levará 300 trabalhadores do Porto para desemprego

Fim da produção própria na RTP levará 300 trabalhadores do Porto para desemprego
O PCP Gaia alertou esta quarta-feira que a concretização do contrato de concessão de serviço público trará “medidas catastróficas” para a RTP Porto, cujo Centro de Produção poderá perder 300 trabalhadores.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

“O fim da produção própria da RTP significa, para Vila Nova de Gaia, que cerca de 300 trabalhadores se poderão juntar aos mais de 34 mil desempregados já existentes neste concelho”, sublinha a concelhia, em comunicado. O documento destaca o “papel essencial e estruturante na descentralização de produção de conteúdos” da RTP Porto, cujo centro de produção “produz e edita cerca de 50% da informação para a RTP Informação”. De acordo com Diana Ferreira, deputada do PCP na Assembleia Municipal de Gaia, o partido irá apresentar na próxima reunião “uma moção no sentido de repúdio com esta decisão” e, assim, “forçar” a Câmara a “tomar uma posição”. No que diz respeito à notícia avançada ontem de que o ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional remeteu para janeiro uma decisão sobre a RTP Porto, a comunista afirmou ser “algo recorrente”. “Já em setembro do ano passado estávamos neste sítio quando se falava na transferência da Praça da Alegria para Lisboa, que acabou por acontecer. Na altura foi prometido pelo Governo, e pelos ministros, que a RTP2 passaria a ser produzida aqui no Centro de Produção do Norte [CPN] da RTP [e] um ano depois isso ainda não aconteceu. Poiares Maduro só diz que qualquer decisão em relação a isto, além de um ano, vai demorar um ano e 3 meses e veremos se em janeiro de facto ela acontecerá ou não”, referiu.

PUBLICIDADE

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/novo-ano-nova-sabe-bem/?utm_source=vivaporto&utm_medium=cpc&utm_campaign=sabebem&utm_term=leaderboardmobile