PUB
CMPorto

Filme de Rodrigo Areias tem o Porto como cenário

Filme de Rodrigo Areias tem o Porto como cenário

O Porto foi um dos locais escolhidos para as filmagens da nova longa-metragem de Rodrigo Areias, denomiada de “O Pior Homem de Londres”, que contou com o apoio da Filmaporto – film commission.

O Palacete Pinto Leite, a Casa Allen, a Casa São Roque, o Jardim do Museu do Romântico, o Jardim Botânico e o exterior do Centro Hospitalar Conde de Ferreira foram alguns dos cenários escolhidos para a rodagem. “A cidade teve, ao longo da sua história, uma relação muito forte com a comunidade inglesa, o que permite filmar em edifícios, jardins e até cemitérios e igrejas inglesas sem sair do Porto”, explica Rodrigo Areias, realizador.

O filme, com argumento de Eduardo Brito e produção de Paulo Branco (Leopardo Filmes), conta a história de Charles Augustus Howell, interpretado por Albano Jerónimo, filho mãe portuguesa e de pai inglês, que nasceu no Porto e emigrou para Londres aos 17 anos, one se tornou secretário do influente crítico de arte John Ruskin, o que o leva a ascender na al “O Pior Homem de Londres” ta sociedade e a estar ligado ao movimento artístico mais importante da época, a Irmandade Pré-Rafaelita.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

Sendo este um filme de época, entre 1857 e 1882, a narrativa do filme cruza-se também com um conjunto de episódios no contexto da conturbada situação política europeia: Howell esteve envolvido no atentado contra Napoleão III e nas tentativas de alteração do torno inglês.

Charles Augustus Howell é um burlão lusodescendente conhecido por persuadir o poeta e pintor Dante Gabriel Rossetti (personificado por Edward Ashley) a exumar Lizzie Siddal (no corpo de Victoria Guerra).

Prevê-se que “O Pior Homem de Londres” fique concluído no segundo semestre deste ano. O filme, com estreia comercial prevista para 2023, será também adaptado à televisão numa minissérie de três episódios para a RTP.

PUBLICIDADE

PUB
PD- Revista Sabe bem