PUB
CIN Portes grátis

FCT apoia projetos do ISPUP

FCT apoia projetos do ISPUP

Covid-19 e habitação urbana são os temas dos dois projetos do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP) recentemente aprovados no âmbito do “Concurso para Projetos de Investigação Científica e Desenvolvimento Tecnológico em todos os Domínios Científicos – 2020”, da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT).

Coordenado pelo investigador Vítor Tedim Cruz, “Complicações neurodegenerativas pós COVID-19” propõe-se avaliar os efeitos neurológicos a longo prazo da infeção pelo vírus SARS-CoV-2, mais concretamente, a ocorrência de sintomas neurológicos, nomeadamente a perda de olfato e de paladar, as alterações de sono e o declínio cognitivo, bem como novos casos de doença de Parkinson e demência, na população coberta pela Unidade Local de Saúde de Matosinhos e pelo Centro Hospitalar Entre o Douro e Vouga, em Santa Maria da Feira.

A investigação vai comparar a incidência do declínio cognitivo nos sobreviventes da Covid-19 e nas pessoas sem evidência de infeção prévia pela SARS-CoV-2, ao longo de dois anos, desde janeiro de 2020, explica o portal de notícias da U.Porto.

Já o projeto “Os efeitos na saúde da gentrificação, da relocalização e da insegurança residencial nas cidades: um estudo multi-coorte quase-experimental” vai medir os níveis de gentrificação (processo através do qual indivíduos mais privilegiados ocupam bairros antes desfavorecidos), insegurança residencial e mudança na estrutura socioeconómica dos bairros da Área Metropolitana do Porto ao longo das últimas duas décadas.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

“Após a crise financeira de 2008, muitas cidades europeias passaram a enfrentar uma crise habitacional sem precedentes, caracterizada pelo aumento do preço das casas e pela falta de investimento público no parque habitacional, o que tem desencadeado processos de transformação urbana como a gentrificação, a insegurança residencial e a relocalização”, explica a coordenadora do estudo, Ana Isabel Ribeiro.

O projeto vai assim avaliar os impactos na saúde destes processos de transformação urbana, usando dados de duas coortes populacionais da Área Metropolitana do Porto – o EPIPorto e a Geração XXI – que atravessam várias fases da vida (infância, idade adulta e velhice). Como os investigadores dispõem de dados sobre a saúde física e mental dos participantes destas coortes, vai ser possível comparar o mesmo indivíduo antes e depois da mudança residencial e após as transformações na estrutura socioeconómica do seu local de residência.

Com uma dotação orçamental de 75 milhões de euros, num investimento suportado por fundos nacionais, através do orçamento da FCT, o Concurso para Projetos de Investigação Científica e Desenvolvimento Tecnológico em todos os Domínios Científicos – 2020 selecionou 312 projetos para financiamento.

Este financiamento “contribui para a consolidação e o reforço do Sistema Científico e Tecnológico Nacional, enquanto prioridade da política de ciência e tecnologia nacional, de um modo transversal a todas as áreas científicas”.

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/celebrar-os-santos-populares-com-a-sabe-bem/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=052023-ta5&utm_campaign=sabebem73