Revista Sabe Bem PD - julho/agosto

FC Porto procura manter a senda vitoriosa na receção ao Marítimo

FC Porto procura manter a senda vitoriosa na receção ao Marítimo

Após duas vitórias nas jornadas inaugurais frente a Sporting de Braga e Boavista, o FC Porto recebe este sábado, no Estádio do Dragão, o Marítimo.

 “Pode tornar-se um jogo difícil se a equipa não for paciente”, disse o treinador do FC Porto, na antevisão da terceira jornada da Liga frente ao Marítimo.

Sérgio Conceição revelou confiar na inteligência tática de Lito Vidigal para que não seja necessário os madeirenses recorrerem ao antijogo para travar os campeões nacionais, que têm de “encontrar espaços, fazer golos e ganhar o jogo”.

“Já conheço o Lito Vidigal há alguns anos e ele tem a tal inteligência em temos táticos, por isso não precisa de recorrer ao antijogo para dificultar a tarefa do FC Porto. Confio na inteligência dele para que na aconteça a vergonha que acontece no futebol português, que é dos últimos classificados em termos de tempo útil de jogo. É um problema que merecia outro tipo de discussão, mas podem haver vários motivos para que os dados sejam o que são. Aquilo que espero é que, nestas situações, haja coragem por parte dos árbitros para dar 15 ou 20 minutos a mais no final do jogo. Têm que dar porque há situações pelas quais não podemos passar por cima, como um guarda-redes no chão. Pode haver algo grave e é preciso entrar a equipa médica, mas o árbitro tem de perceber o que está a acontecer. Não quero é que mostre amarelos aos 90 minutos ou depois, porque não vale a pena”, disse o técnico dos “azuis e brancos”.

“Vamos ter momentos em que temos de ser coletivamente fortes nesse espírito de sacrifício, na paciência que temos de ter para encontrar soluções para fazer golos e ganhar o jogo, e na inteligência de sabermos o adversário que estamos a defrontar, bem como os seus pontos fortes e fracos”, disse ainda Sérgio Conceição.

O treinador comentou ainda a pressão de vencer diante da formação insular.

“Faz parte do que é o nosso trabalho e o nosso jogo. Perceber que as equipas podem jogar mais baixo no campo. O Marítimo tem alterado a sua linha defensiva entre quatro e cinco jogadores. Temos de trabalhar para que as características do adversário não serem um problema. Cada adversário representa, no que é a sua dinâmica de jogo, um obstáculo e temos de ser pacientes e inteligentes. O ano passado dizia-se que o FC Porto tinha mais dificuldades com equipas de bloco baixo, médio-baixo. Não concordo com isso. Todas as equipas do mundo que jogam contra equipas com bloco baixo, todas terão mais dificuldade em relação ao que é um adversário mais aberto. Acho que é geral. Nós é que temos de encontrar soluções para encontrar espaços”.

Questionado sobre Marchesín, Sérgio Conceição “acha difícil a recuperação” a tempo do jogo com o Marítimo, uma vez que o jogador não treinou esta sexta-feira.

O jogo entre o FC Porto e  Marítimo, agendado para sábado, às 18h30 (Sport TV), no Estádio do Dragão, referente à terceira jornada do campeonato, vai ser arbitrado por Rui Costa.

O árbitro da Associação de Futebol do Porto terá como assistentes Nuno Manso e Nélson Cunha, sendo Cláudio Pereira o quarto árbitro. O VAR será Luís Ferreira, assistido por Nuno Eiras.

PUB
www.pingodoce.pt/campanhas/sabor-do-mes/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=peixe&utm_campaign=sabordomes